Há muito que a Guarda ouve falar do Porto Seco.

A localização deste empreendimento, que pode vir a revolucionar o panorama de investimento estratégico da cidade e do concelho, acabou por marcar a última campanha autárquica.
A publicação em Diário da República da Promulgação do Decreto-lei que atribui a Gestão da Plataforma Rodoferroviária da Guarda à Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL), no dia 4 de Março de 2022, foi a garantia de que este processo estava no bom caminho. O decreto-lei determinava que a gestão do terminal ferroviário de mercadorias da Guarda passava da Infraestruturas de Portugal para a Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo.
No início desta semana foi publicado em Diário da República o concurso público para a empreitada de implementação do Porto Seco na Guarda, no valor de quatro milhões de euros. O procedimento foi lançado pela Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo tendo o concurso um prazo de 270 dias.
A autarquia já veio lembrar que o compromisso passa pelo início da operação no actual terminal e que se projecte a segunda fase do Porto Seco noutro local fora do núcleo urbano.
A criação de um porto seco na Guarda, que será o primeiro do país, vai transformar a cidade num eixo fundamental do posicionamento na centralidade do interior da Península Ibérica, criando uma âncora logística fundamental no interior do país, com impacto relevante no produto interno bruto nacional e motivando também a aceleração da economia local, na medida em que as operações aqui centralizadas vão servir as regiões centro e norte e os territórios fronteiriços de Espanha e de Portugal.
A Guarda termina o ano com esta boa notícia, com esta prenda no sapatinho e, como estão a ser perdidas oportunidades de negócio relacionadas com as mercadorias, é preciso fazer tudo para que o Porto Seco entre em funcionamento no mais curto espaço de tempo.
No meio de todo este entusiasmo, também sabemos que vai haver eleições legislativas em Março e que às vezes as promessas eleitorais vão ficando pelo caminho…basta olhar para o antigo Hotel de Turismo.