Necessidade dos avós para construir o mundo de amanhã

Celebrar o Dia Mundial dos Avós e dos Idosos vai entrar na nossa rotina de forma mais clara e evidente a partir de Domingo, 25 de Julho. Assim, no futuro, o quarto Domingo de Julho terá esta lembrança tão especial e particular.  Em boa hora, o Papa Francisco teve a feliz ideia de oficializar o Dia Mundial dos Avós e dos Idosos, apontando para este primeiro dia o tema «Eu estou contigo todos os dias».Numa linguagem directa e simples, o texto vai ao encontro da realidade actual, num tempo difícil marcado pela pandemia a que o Papa chama de “tempestade inesperada e furiosa, uma dura provação que se abateu sobre a vida de cada um”, mas que reservou para os idosos “um tratamento especial, um tratamento mais duro”. O texto da mensagem lembra que mesmo quando tudo parece escuro, como nestes meses de pandemia, “o Senhor continua a enviar anjos para consolar a nossa solidão repetindo-nos: Eu estou contigo todos os dias”.E o papa vai mais longe: “Quero dizer que há necessidade de ti para se construir, na fraternidade e na amizade social, o mundo de amanhã: aquele em que viveremos – nós com os nossos filhos e netos –, quando se aplacar a tempestade. Todos devemos ser «parte activa na reabilitação e apoio das sociedades feridas». Entre os vários pilares que deverão sustentar esta nova construção, há três que tu – melhor que outros – podes ajudar a colocar. Três pilares: os sonhos, a memória e a oração. A proximidade do Senhor dará – mesmo aos mais frágeis de nós – a força para empreender um novo caminho pelas estradas do sonho, da memória e da oração”.Numa sociedade cada vez mais dominada pelo imediato e pela força da economia, onde muitas vezes só há lugar para os fisicamente válidos, celebrar o Dia Mundial dos Avós e dos Idosos pode ser o início do regresso a valores que não passam com o tempo.