O tema da Inteligência Artificial já não é novo nas páginas do Jornal A GUARDA.

Considerada por muitos como a “tecnologia que define o futuro” a Inteligência Artificial tem sido apresentada como a capacidade que uma máquina tem para reproduzir competências semelhantes às humanas como é o caso do raciocínio, a aprendizagem, o planeamento e a criatividade. Esta ferramenta permite que os sistemas técnicos percebam o ambiente que os rodeia, lidem com o que percebem e resolvam problemas, agindo no sentido de alcançar um objectivo específico.
É verdade que algumas tecnologias de Inteligência Artificial já existem há várias décadas mas só nos últimos anos é que houve maiores progressos devido ao desenvolvimento da capacidade de processamento, à disponibilidade de quantidades elevadas de dados e novos algoritmos. É verdade que a Inteligência Artificial já está mais do que presente no quotidiano da nossa vida, mas sabemos que as aplicações futuras poderão trazer mudanças ainda muito mais significativas.
Perante estes novos desafios, não é de estranhar que a Inteligência Artificial seja o tema do 58° Dia Mundial das Comunicações Sociais que, em 2024, será celebrado a 12 de Maio. A mensagem que tem como tema “Inteligência artificial e sabedoria do coração: por uma comunicação plenamente humana”, é apresentada a 24 de Janeiro, dia de São Francisco de Sales padroeiro dos escritores e jornalistas.
“A evolução dos sistemas de inteligência artificial torna cada vez mais natural a comunicação através e com as máquinas, de tal modo que se tornou cada vez mais difícil distinguir o cálculo do pensamento, a linguagem produzida por uma máquina daquela gerada pelos seres humanos”, foi explicado na escolha do tema.
O comunicado salientou também que, “como todas as revoluções, também esta baseada na inteligência artificial coloca novos desafios para que as máquinas não contribuam para espalhar um sistema de desinformação em larga escala e não aumentem a solidão daqueles que já estão sós, privando-nos do calor que só a comunicação entre pessoas pode dar”. Neste processo é importante “orientar a inteligência artificial e os algoritmos, de modo que haja em todos nós uma consciência responsável no uso e no desenvolvimento dessas diferentes formas de comunicação, que acompanham as das redes sociais e da internet”.