Há gestos que marcam o ritmo do tempo e a vida das pessoas.

Ainda há quem pense nos outros e no seu bem-estar. A Ceia Solidária que decorreu na última semana, no Nerga, na Guarda, é bem o exemplo de que “o sonho comanda a vida”. O empresário João Pina, natural do concelho e a desenvolver a sua actividade em França, juntou mais de mil pessoas numa grande Festa de Natal em que voltou a brindar muitas instituições de solidariedade social. A entrega de uma cadeira de rodas a alguém que precisava foi, sem dúvida, um dos momentos marcantes da iniciativa que contou com a colaboração de muitos portugueses da diáspora.
Um bom exemplo de desprendimento e solidariedade que deve encher a Guarda de orgulho e respeito por todos aqueles que, um dia, tiveram de partir para outras paragens, à procura de uma vida melhor.
Quando terminamos mais um ano, olhamos para trás e damos conta de muitas coisas boas que foram acontecendo tanto na nossa região como por esse mundo fora. Também sentimos o peso de outras que marcaram de forma negativa este mundo em que vivemos.
Na transição para um novo ano, olhamos para o sector da Imprensa em Portugal que está a enfrentar a maior crise de sempre, o que tem motivado, nos anos mais recentes, alertas das associações do sector e de algumas outras entidades, mas sem que, até ao momento, tivessem sido tomadas as medidas urgentes e e­ficazes que a situação exige.
A falta de tais medidas põe em risco a sustentabilidade, a independência e até mesmo a sobrevivência de muitos órgãos de comunicação social, com as dramáticas consequências que daí decorrem para esse pilar essencial de qualquer regime democrático.
Faço votos para que, em 2020, haja mais atenção para um sector crucial na vida democrática de um povo, a comunicação social. De uma vez por todas haja coragem de “avançar com medidas legislativas que reúnam amplo consenso partidário e contribuam para a indispensável revitalização da Imprensa em Portugal”.
Bom Ano!