Foguetes antes da Festa

A Guarda integra um grupo de dez cidades que manifestaram interesse na candidatura à Capital Europeia da Cultura 2027, que decorrerá, em simultâneo, em Portugal e na Letónia. Com o cunho e a persistência de Álvaro Amaro, a Câmara da Guarda lançou mãos a um desafio que pode projectar a cidade mais alta nos escaparates nacionais, europeus e mesmo mundiais. O desafio é grande e a vontade dos promotores também não fica atrás.
Nesta corrida, a cidade da Guarda tem de medir forças com os projectos de Aveiro, Braga, Coimbra, Évora, Faro, Funchal, Leiria, Oeiras e Viana do Castelo. A escolha da cidade vencedora será feita por um júri composto por dez peritos independentes, nomeados por instituições europeias, e para o qual Portugal escolhe dois elementos. Em 2023, será anunciada a vencedora e quem dera que a Guarda alcançasse esse feito. 
Os promotores da candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura acabam de elevar a fasquia, divulgando o nome de todas as cidades que já acolheram este projecto, a que juntam o slogan “Vamos fazer parte desta história”. Claro que ninguém nos impede de sonhar mas, primeiro, é preciso lançar mãos à obra para convencer o júri da riqueza, da singularidade e da originalidade cultural e da tradição deste território e das suas gentes. E, neste ponto, ainda há muito a fazer e a trabalhar.
Também aqui o povo nos ensina que nem sempre é abonatório “deitar os foguetes antes da festa”, pois “até ao lavar dos cestos é vindima”. Mais importante que os foguetes é fazer o trabalho de casa para depois a Guarda fazer a verdadeira festa de integrar a história das capitais europeias da cultura.