Dublin é, por estes dias, um local de celebração, reflexão e alegria para as famílias.

Esta cidade capital da Irlanda acolhe o 9.º Encontro Mundial das Famílias que tem como tema ‘O Evangelho da família, alegria para o mundo’. O encontro terá a presença do Papa Francisco, no sábado e domingo, 25 e 26 de Agosto.
Esta iniciativa mundial teve um tempo de preparação com o estudo e aprofundamento de sete catequeses publicadas pelo Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida (Santa Sé), responsável pela promoção do encontro mundial.

“Desejo pôr em evidência como é importante que as famílias se interroguem, frequentemente, se vivem a partir do amor, para o amor e no amor. Concretamente, isto significa doar-se, perdoar-se, não perder a paciência, antecipar o outro, respeitar-se”, escreve o Papa na Carta para o IX Encontro Mundial das Famílias.
Palavras sábias e prudentes que, postas em prática, hão-de ajudar a construir um bom ambiente familiar e, como consequência, uma sociedade melhor.
A utilização das palavras “com licença”, “obrigado” e “desculpa” são apontadas pelo Papa Francisco como inspiração para uma vida familiar melhor e mais harmoniosa. De facto, se estas palavras fossem mais usadas, não só no contexto familiar, mas em todos os contextos sociais, o relacionamento entre as pessoas, comunidades e também entre as nações seria mais sólido e fraterno.

Do desejo à realidade ainda vai uma grande distância e o próprio Papa reconhece que “vivemos, todos os dias, a experiência da fragilidade e da debilidade” o que nos obriga a uma humildade renovada, “que plasme o desejo de nos reformarmos, de nos educarmos e de sermos educados, de ajudarmos e sermos ajudados, de acompanharmos, discernirmos e integrarmos todos os homens de boa vontade”.
Partindo do olhar concreto sobre as famílias dos nossos dias damos conta de tantas luzes e sombras, de tantas alegrias e esperanças misturadas com tristezas e desilusões. Numa sociedade cada vez mais dominada pelo prazer efémero, pelo consumismo e despesismo, a família ainda é apontada como geradora de uma nova cultura, que não pode deixar de ser cultura da vida, da esperança e da alegria.

O Encontro Mundial das Famílias, que está a decorrer, é uma boa oportunidade para a leitura ou releitura da Exortação Apostólica pós-sinodal Amoris Laetitia que o Papa Francisco ofereceu ao mundo inteiro.