O turismo está na moda. Nunca se viajou tanto como nos nossos dias e nunca as ofertas foram tão diferenciadas e atraentes.

Também neste campo, o mundo é cada vez mais uma aldeia global, cada vez mais fácil de descobrir e de desvendar.
Há mesmo lugares que, de um momento para o outro, ganham vida e dinâmica, graças às novas ferramentas informáticas em que se destacam as redes sociais.
A pensar no Dia Mundial do Turismo, a Obra Nacional da Pastoral do Turismo, da Igreja Católica, divulgou uma mensagem com o título “O Turismo e a transformação digital - A rede como espaço de comunhão”, na qual chama a tenção para a necessidade de colocar as novas tecnologias ao serviço da “inclusão social”, respeitando as comunidades locais e o meio ambiente.
“Temas como inteligência de dados, inteligência artificial e plataformas digitais são parte da resposta ao desafio de conciliar crescimento contínuo com maior sustentabilidade e responsabilidade, que passam, naturalmente, pelo aumento da inclusão social, pelo envolvimento das comunidades locais e pelo uso eficiente dos recursos”, diz o texto dedicado à celebração do próximo Dia Mundial do Turismo, que acontece a 27 de Setembro de 2018.
A mensagem adverte para perigos de manipulação, uso indevido de dados para fins propagandísticos e comerciais, condicionamento psicológico, no uso dos meios tecnológicos.
Também nesta matéria deve sempre existir um profundo sentido de responsabilidade.
A mensagem lembra que “as ferramentas e serviços ao dispor de quem trabalha no Turismo implicam não somente a criação de grandes oportunidades, quer de contacto e de negócio, mas também a consciência de que há necessidade de ter um profundo comprometimento na forma como qualquer inovação é introduzida e usada, uma vez que temos necessidade de cuidar do próximo, do planeta, procurando aplicar estratégias sustentáveis e promotoras do respeito pela diferença e pela dignidade”.
Seja qual for a circunstância, o Turismo pode e deve contribuir, de forma efectiva, para o desenvolvimento sustentável de povos e nações.
A pensar no turismo, também a Igreja deve usar as tecnologias, que tem ao seu dispor, para oferecer espaços de “acolhimento e de esperança”, promovendo “a ajuda a quem viaja e a quem quer descansar e procura, longe do seu espaço físico, respostas para a sua vida espiritual”.
Por proposta da Organização Mundial do Turismo, este ano, o Dia Mundial do Turismo centra-se na importância que têm as tecnologias digitais neste sector.
Era bom que soubessemos aproveitar, da melhor forma, as tecnologias que temos à nossa disposição para promovermos aquilo que nos identifica e que faz parte da nossa cultura, quer em termos arquitectónicos, religiosos, gastronómicos, paisagísticos e ambientais. Todos ficariamos a ganhar.