Instituído em 1991 pela ONU - Organização das Nações Unidas, o Dia Internacional do Idoso, que se assinala a 1 de Outubro, pretende sensibilizar a sociedade para as questões do envelhecimento e da necessidade de proteger e cuidar a população mais idosa.


A pressa do tempo em que vive a maior parte das pessoas remete muitas vezes os idosos para o esquecimento tanto da sociedade como da própria família.

De acordo com os dados do Eurostat, Portugal será um dos países da União Europeia com maior percentagem de idosos e menor percentagem de população activa em 2050.
O Instituto Nacional de Estatística prevê igualmente que nesse ano, um terço da população portuguesa seja idosa e quase um milhão de pessoas tenha mais de 80 anos. A mesma fonte adianta que os cálculos apresentados são feitos com base na tendência de envelhecimento da população, resultante do aumento da esperança de vida e da diminuição dos níveis de fecundidade.
Os números são preocupantes para o país em geral mas, tornam-se ainda mais alarmantes para as zonas do interior esquecido onde os residentes efectivos têm diminuído de forma drástica. Ao abandono das terras junta-se o despovoamento das aldeias com casas vazias de tudo.

Os poucos que vão resistindo debatem-se com o isolamento e o esquecimento. Quando as forças começam a faltar são encaminhados para os lares de idosos, agora apelidados de residências seniores. Neste caso, as instituições que abrigam idosos deveriam ser lugares de “humanidade e atenção amorosa”, onde os mais fracos “não são esquecidos ou negligenciados, mas visitados, recordados e tratados como irmãs e irmãos mais velhos”. As palavras são Papa Francisco e adaptam-se perfeitamente a esta realidade.

Os que ainda têm algum vigor físico e gostam de aprender vão gastando o tempo em Universidades Seniores onde partilham experiências e avivam memórias. Muitos há que se tornam um “tesouro precioso” e “indispensável” na educação dos netos.
Quando celebramos um dia dedicado, de forma especial, aos mais idosos temos de olhar para eles com afecto, gratidão e grande estima. Eles representam as raízes e a memória de um povo. Nunca podemos esquecer que a maturidade dos idosos e a sabedoria que foram guardando ao longo dos anos pode servir de inspiração aos mais jovens.

No dia 1 de Outubro, segunda-feira, muitos idosos do concelho da Guarda participam numa visita a Salamanca, organizada pela Câmara Municipal. O Bispo da Diocese também se associa à iniciativa e celebra a missa, com eles, na Catedral de Salamanca. Hoje, mais do que nunca, é importante dar atenção aos mais velhos e cuidar deles, respeitando sempre a sua sabedoria.