“Convido todos os jovens do mundo a celebrar com intensidade e esperança a Jornada Mundial da Juventude” disse, em 1986, o Papa João Paulo II. O convite encontrou eco no coração de milhares de jovens ao longo das jornadas que já passaram por tantas partes do mundo. Este ano, e tendo como homem do leme o Papa Francisco, as jornadas acontecem pela primeira vez, na América Central, no Panamá.

A poucos dias do início da Jornada Mundial da Juventude, a Cidade do Panamá, já começou a receber jovens de todos os continentes. Para quem já viveu este acontecimento noutras ocasiões, os dias que antecedem as jornadas são de muita expectativa e esperança. A descoberta de novos povos e outras formas de vida ajudam os jovens a embarcar num desafio único e deslumbrante. Atrevo-me mesmo a dizer que todos os jovens baptizados deviam fazer esta experiência, pelo menos uma vez na vida.

A imagem da Mãe, de Maria, tão amada de João Paulo II volta a dar mote à Jornada. “Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra” é o fio condutor de toda a caminhada. Portugal une-se ao Panamá de forma muito especial com a imagem peregrina número 1 do Santuário de Fátima, nesta Jornada Mundial da Juventude.

Depois de percorrer alguns lugares do Panamá, a imagem peregrina estará, a partir do dia 25 de Janeiro na Tenda do Encontro, no Parque da Juventude e a partir do dia 26 será levada para a Sede São João Paulo II, no Metro Park, onde terá lugar a vigília de oração e encontro com os jovens.
Na Missa de encerramento da JMJ Panamá 2019, no dia 27 de Janeiro, acreditamos que a imagem peregrina será um prenúncio da passagem de testemunho aos jovens portugueses da jornada de 2022. Seria uma boa notícia para os jovens portugueses e para Portugal.
Acreditamos que isso possa acontecer!