A cidade da Guarda celebrou o 823º aniversário da atribuição do Foral por D. Sancho I, no dia 27 de Novembro.

A data foi assinalada com pompa e circunstância e começou com uma homenagem sentida junto da estátua do Rei fundador. Com um gesto de homenagem aos que ajudaram a transformar este território ao longo dos séculos foi colocada uma coroa de flores aos pés da grande estátua que se encontra na Praça Velha. O momento foi abrilhantado pela Banda Filarmónica de Famalicão e pela presença do Exército - Regimento de Infantaria Nº 14, do Núcleo da Guarda - Liga dos Combatentes, dos alunos da Escola Regional Dr. José Dinis da Fonseca e do Agrupamento de Escolas Afonso de Albuquerque.
Desta vez a Guarda viveu o momento presente sem esquecer o passado e com os olhos no futuro.
O Município da Guarda homenageou, a título póstumo, Dom Martinho Pais, Tiago Gonçalves e Laurindo Prata. Homens que passaram pela Guarda e deixaram o seu cunho de mudança.
Dom Martinho Pais foi o primeiro bispo da Guarda, após a mudança da sede da diocese de Idanha-a-Velha para a Guarda. Na altura, o Papa autorizou o rei D. Sancho a transferir a sede do bispado da Idanha para a cidade da Guarda, com a condição de conservar o venerando título ‘Egitânia’ em homenagem à antiga diocese. Esta mudança ajudou a Guarda a erguer-se dentro de muralhas e principalmente à volta da Catedral.
Tiago Gonçalves foi advogado e deputado na Assembleia Municipal. Com uma carreira promissora pela frente, faleceu ainda muito novo, em 2020.
Laurindo Prata distinguiu-se como empresário e empreendedor de sucesso. Foi considerado um dos grandes impulsionadores da mecanização agrícola da Beira Interior.
Mas as homenagens também distinguiram gente que está no activo e continua a dar o seu contributo no desenvolvimento e progresso do concelho da Guarda e muito para além das fronteiras deste território. Este ano mereceram a distinção a Fundação José Carlos Godinho Ferreira de Almeida (instituição particular de solidariedade social, sem fins lucrativos), Cunha Rasteiro (Coronel - Comandante Distrital da Guarda Nacional Republicana, ao serviço da região da Guarda há mais de trinta anos) e Virgílio Mendes Ardérius (padre e empreendedor).
A gratidão da autarquia é, sem dúvida, o reconhecimento dos feitos que alguns continuam a almejar tendo em vista o bem de todos.