O gigante chinês que produz, entre outras coisas, smartphones, acaba de se lançar no universo automóvel.

O primeiro carro é uma berlina 100% elétrica que tem como alvos o Porsche Taycan e o Tesla Model S. Para isso oferece uma aceleração 0-100 km/h em 2,8 segundos e uma autonomia superior a… 1000 km!
As semelhanças com o Porsche Taycan não são inocentes. Porém, o SU7 consegue ter uma identidade própria. O que acaba por ser espantoso numa empresa que nasceu em 2010 e se transformou num gigante da tecnologia numa dezena de anos. Depois dos sistemas multimédia conectados e de ter chegado ao terceiro lugar dos construtores de smartphones atrás da Samsung e da Apple, chega, agora, a vez de se lançar nos automóveis.
O SU7 bebe inspiração em vários automóveis para além do Porsche Taycan e do BYD Seal, por exemplo. Nos faróis dianteiros há um toque do McLaren 750S. Enfim, uma miscelânea de conceitos que forma um automóvel interessante. A plataforma é a Modena, feita pela Xiaomi, integrando as células da bateria. Sendo extremamente baixo, o SU7 tem uma reduzida superfície frontal e um coeficiente aerodinâmico favorável, num corpo com 5 metros de comprimento, 1,96 metros de largura e distância entre eixos de 3 metros.
Os motores elétricos são desenvolvidos pela Xiaomi e a marca chinesa deu-lhes o nome V6, V6s e V8! O primeiro debita 299 CV e 400 Nm, o segundo 374 CV e 500 Nm e, finalmente, o mais poderoso com 578 CV e 635 Nm. Este estará disponível só em 2025. Quanto às autonomias, começam nos 668 km e podem chegar a mais de um milhar de quilómetros. Porém, segundo a mais otimista norma CLTC. Esta última autonomia será alcançada com uma bateria de 150 kWh. O modelo será posicionado no segmento Premium, mas não há nenhuma previsão para a chegada ao Velho Continente do Xiaomi SU7.