Empresa tem sede em Manteigas

A empresa SARAIVATECH, UNIPESSOAL Ldª, com sede em Manteigas, obteve a certificação “TOP 5% Melhores PME de Portugal” da edição de 2020. Esta certificação é emitida pela SCORING, após classificação que determina as empresas que se enquadram no restrito grupo das melhores 5%, em termos de desempenho e solidez financeira.“É com enorme orgulho e satisfação que recebemos esta certificação. É o reflexo do trabalho que temos vindo a desenvolver na SARAIVATECH” disse o sócio gerente, Rafael Saraiva, ao Jornal A GUARDA. E acrescentou: “Continuaremos a trabalhar no sentido de manter os indicadores positivos que nos distinguem e a manter a confiança dos nossos clientes e parceiros para que possamos continuar a crescer de forma sustentável. Temos como foco prestar um serviço de excelência que se baseia na satisfação do cliente através da qualidade, rigor, eficiência e profissionalismo desde o planeamento de um projecto até à sua conclusão. A empresa dispõe de uma equipa de profissionais qualificados, 5 colaboradores no total, internos e externos, para as diversas áreas de actuação. “Prevemos aumentar este número a curto prazo”, disse Rafael Saraiva ao Jornal A GUARDA.A empresa SARAIVATECH, UNIPESSOAL Ldª foi criada como sociedade unipessoal por quotas em Janeiro de 2019 na Conservatória do Registo Comercial da Guarda, tendo sede no concelho de Manteigas. Contudo a empresa surge no seguimento da actividade de empresário em nome individual, que teve início em 2010, do actual sócio gerente da SARAIVATECH, Rafael Alexandre Rodrigues Saraiva, 34 anos, natural de Manteigas, regressado de Londres, onde viveu 2 anos, trabalhou e tirou várias formações no Institue of Engineering & Technology.Desde 2010 que SARAIVATECH é a designação comercial pela qual a sua actividade empresarial tem sido exercida. Contando assim com mais de 10 anos no mercado.É uma empresa com alvará de obras públicas que actua nas áreas de Instalações Eléctricas, Domótica, Telecomunicações, Segurança Electrónica, Segurança Contra Incêndios em Edifícios, Informática e Manutenção de Infraestruturas. Está registada em todas as entidades competentes para o exercício das suas diversas actividades, nomeadamente no IMPIC, DGEG, ANEPC, PSP, entre outras.Dos últimos trabalhos realizados, Rafael Saraiva destaca, entre outras obras, o Hotel da Vila em Manteigas, a Remodelação dos Edifícios 4 e 5 da Autoridade Nacional da Aviação Civil no Aeroporto de Lisboa, o Solar da Castanha - Forest House em Manteigas, a oficina automóvel “A Minha Oficina” em Manteigas, o Ninho de Empresas de Manteigas, a Unidade de Cuidados Continuados de Manteigas, diversas moradias, prédios, lojas e outro tipo de obras nomeadamente em Manteigas, Guarda, Covilhã, Fundão, Lisboa, entre outros locais.Na manutenção a empresa trabalha com diversos clientes a nível nacional, como por exemplo o Grupo Pestana, Fundação Inatel, bem como vários hotéis locais, empresas de construção civil, indústrias e instituições.O objectivo da empresa SARAIVATECH, UNIPESSOAL Ldª é continuar “o crescimento sustentado que se tem vindo a verificar ao longo destes anos”. A curto/médio prazo, prevê a criação de mais postos de trabalho, a continuação do investimento na inovação da empresa e na formação dos colaboradores. “Pretendemos ainda implementar um sistema de gestão de qualidade e produtividade que nos permita continuar a melhorar os nossos serviços”, conclui Rafael Saraiva.A nível de responsabilidade social, para além de manter as políticas internas de promoção do bem-estar e qualidade de vida dos colaboradores, a SARAIVATECH, UNIPESSOAL Ldª tem alguns projectos em fase de desenvolvimento para ajudar a comunidade local, nomeadamente algumas instituições de solidariedade social. A nível ambiental a empresa está empenhada em melhorar as acções para que possa desenvolver o trabalho de uma forma cada vez mais sustentável.No início deste ano a empresa investiu em novas instalações para sede, firmando assim a vontade de continuar a aposta no interior do país e no concelho de Manteigas em particular.“Sabemos que os desafios que uma empresa com sede no interior enfrenta, são a vários níveis mais difíceis do que noutras zonas do país, por exemplo na obtenção de mão-de-obra qualificada, entre outras coisas”, disse Rafael Saraiva. E acrescentou: “Mas isso não nos demoveu de apostar no nosso concelho e no interior, pois queremos contribuir para a valorização da nossa região”.