O «Restaurante Videira», situado na Avenida Cidade de Béjar, Lote 5, Rés-do-Chão,

na cidade da Guarda, confecciona bolo-rei diferente do tradicional. Por iniciativa do proprietário e responsável pela cozinha, Manuel Videira da Costa, de 35 anos, o estabelecimento começou este ano a confeccionar bolo-rei de castanha, de requeijão com doce de abóbora e de presunto da Serra da Estrela com queijo de ovelha. Também disponibiliza aos clientes bolo-rei tradicional, de cereja, de frutos silvestres, de maçã, de ananás, de chocolate e de carnes variadas. O quilo do bolo-rei é vendido a 9,5 euros, excepto o de carnes variadas e de presunto da Serra com queijo de ovelha que é comercializado a 12,5 euros o quilo. Manuel Videira da Costa contou ao Jornal A GUARDA que a novidade deste Natal é o bolo-rei de castanha, de requeijão com doce de abóbora e de presunto da Serra com queijo de ovelha. O de castanha é feito à base de massa de bolo-rei, pasta de castanha, castanha cozida pilada e frutos secos; o de requeijão e abóbora é feito de massa de bolo-rei, doce de ovo, doce de abóbora e requeijão; já o bolo-rei de presunto da Serra da Estrela com queijo de ovelha é apenas feito com estes ingredientes e massa de bolo-rei. “Aqueles que têm mais procura são os bolos-rei de castanha e de requeijão”, disse Manuel Videira da Costa. O responsável contou que começou a fazer bolos de Natal diferentes, com utilização de novos produtos típicos da região, para aproveitar os recursos existentes. “Por exemplo, a ideia para o de castanha surgiu na época da castanha”, disse. Os bolos-rei do «Restaurante Videira»» são elogiados pelos clientes e têm tido uma grande procura. “Já começou a procura e vamos tendo encomendas para a Guarda e para fora”, disse o proprietário, augurando que a maior procura será na semana do Natal. Para além de bolo-rei o estabelecimento também confecciona sonhos recheados com creme de ovo, rabanadas, miniaturas de bolinhos, biscoitos, bolos esquecidos, cavacas, filhós e coscoréis. Muitos dos bolos são feitos por Manuel Videira da Costa com base no método tradicional, que aprendeu em criança na aldeia de Rabaçal, no concelho da Mêda, de onde é natural. “Comecei a fazer bolos com 6 anos. Roubava os ovos à minha mãe e aos tios e ia fazer bolos na casa de uma vizinha, porque tinha televisão. A partir dessa idade comecei a cozinhar e passei a ter gosto pela profissão”, relatou. Durante os estudos fazia bolos para os colegas e os amigos e quando terminou o 9.º ano foi para Santa Maria da Feira tirar um curso de Hotelaria. Esteve 3 anos em Santa Maria da Feira e depois de concluir o curso de Cozinha de 1.ª e de Pastelaria de 2.ª foi abrir a Estalagem de Vila Franca das Naves, no concelho de Trancoso. Um ano e meio depois saiu e foi para a Estalagem Falcão Mendonça, em Figueira de castelo Rodrigo. Posteriormente abriu o Hotel Lusitânia, na Guarda, optando, há cerca de 9 anos por trabalhar por conta própria, altura em que abriu o «Restaurante Videira». O restaurante emprega 7 pessoas, incluindo o proprietário e responsável pela cozinha, e tem duas salas com capacidade para 100 pessoas. Faz serviço de casamentos, festas e baptizados. Nesta época de Natal e de Fim de Ano está aberto todos os dias e só fecha no dia de Consoada ao jantar e no dia de Natal. Polvo à lagareiro, naco de vitela com queijo de ovelha da Serra da Estrela e cataplana de peixes e mariscos, são algumas das especialidades da casa. A dose diária custa 6,80 euros (entradas, sopa, prato principal, doce, café e água, sem bebidas alcoólicas ou refrigerantes). Tem serviço de take away (comida para fora) a partir de 3,5 euros a meia dose. O «Restaurante Videira» também faz serviço de catering. O último foi no mês de Julho, quando o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, visitou os concelhos de Mêda e de Vila Nova de Foz Côa.