O «Restaurante Hamburgueria T&M Burger», localizado na Rua da Paz, n.º 12, com mais de 20 anos de existência,

continua a ser uma referência na cidade da Guarda. A primeira hamburgueria da Guarda funciona, desde 1 de Março de 2016, sob a gerência do casal João Pires, de 33 anos, e de Vanessa Alvané, de 28 anos. João Pires, licenciado em Gestão Hoteleira, contou ao Jornal A GUARDA que decidiu apostar no próprio negócio após alguns anos ligado a grupos hoteleiros da região (Hotel H2O - Unhais da Serra), Termas do Cró (Sabugal) e de Longroiva (Mêda). Como o casal assumiu o negócio de uma casa com mais de 20 anos, decidiu manter o conceito existente. “A ideia foi mesmo essa, o conceito foi mesmo manter uma casa histórica da cidade, onde aliamos o melhor da cozinha tradicional à comida rápida”, disse.
O restaurante continua a ser hamburgueria e serve hambúrgueres e francesinhas, mas a nova gerência também tem diariamente três pratos do dia e duas sopas. Dos pratos do dia destaque para leitão assado no forno, bacalhau assado, frango frito, cozido à portuguesa e picanha. Nas sopas, destacam-se sopa de cornos, sopa de cozido e sopa de grão. A sopa de cornos, confeccionada sobretudo nos meses mais frios, tem aceitação por parte dos clientes. “As pessoas acham piada ao nome e perguntam quais são os ingredientes que leva”, contou o empresário, explicando que é feita com a carne da cabeça de vitela: “Cozemos a cabeça da vitela. Tradicionalmente é feita com a mioleira mas nós não colocamos, pomos só a carne desfiada. A cabeça é cozida com cebola e com sal. Depois de desfiada a carne introduzimos a massa pevide e finalizamos com vinho tinto”.
João Pires referiu que os clientes do «T&M Burger» procuram o estabelecimento “pelo hambúrguer e pelas francesinhas, mas também pelo prato do dia e pela cozinha em si”. Explicou que “o peso da história” do espaço leva a que ainda não tenha posto em prática algumas das suas ideias por verificar que para além dos clientes do dia-a-dia “algumas pessoas da Guarda que estão fora, quando vêm à cidade deslocam-se à «T&M»”. Ali também se assiste “ao cruzar de gerações”, ou seja, encontram-se no mesmo local os pais que frequentaram o espaço no passado e, agora, os filhos. “A «T&M» foi uma referência e continua a ser. Está no Centro Histórico da cidade, numa transversal da Rua do Comércio, uma das ruas mais movimentadas da cidade, principalmente no Verão”, declarou, lembrando que nos meses mais quentes é procurada pelos turistas (alemães, ingleses, israelitas, japoneses, etc.) e nos restantes meses por estudantes e por pessoas que trabalham na cidade (bancários, comerciantes, etc.).
Em relação aos primeiros sete meses de funcionamento do restaurante sob a sua gerência, o empresário disse que o mesmo é positivo. “A casa mantém o mesmo aspecto que tinha e sentimos que já captámos novos clientes e efectivámos alguns”. Os novos proprietários mantêm a carta existente “pelo peso da história”, pois verificam que “as pessoas chegam cá e pedem o (hambúrguer) T&M com batata frita ou um Grandalhão e nem precisam sequer de olhar para a carta”. “Ando a estudar a possibilidade de implementar novas ideias, já acrescentei a hambúrguer vegetariana, mas em breve vou fazer uma pequena mexida na carta”, anunciou.
O «Restaurante Hamburgueria T&M Burger», que pretende disponibilizar ao cliente “uma refeição rápida, num ambiente descontraído e informal”, funciona de segunda-feira a sábado, das 11.00 às 2.00 horas e tem capacidade para 44 pessoas sentadas. O funcionamento é assegurado por 5 pessoas (3 na cozinha e 2 que fazem o atendimento na sala).