Depois do Renault 5 e do Renault 4, eis que a casa francesa retoma a avenida do revivalismo promovendo o regresso do Twingo.

Com toda a certeza, o processo será o mesmo: estilo inspirado pelo modelo original e mecânica 100% elétrica. Maior diferença: Luca de Meo quer este citadino na fasquia dos 20.000€ +para combater a invasão chinesa de baixo custo.
Dessa maneira, Luca de Meo apresentou o modelo como protótipo de um veículo projetado e produzido na Europa. Um automóvel que, sem incentivos, vai custa menos de 20.000€ e com o objetivo de ter uma renda mensal de 100€. Mas isto só em 2026 quando chegar ao mercado.
O modelo original fornece a inspiração para o modelo que vai surgir no mercado em 2026. Porém, há uma diferença crucial: o Twingo terá cinco portas e não apenas três como o original. Por outro lado, as unidades de iluminação identificam-se com as originais e o para brisas combina com a inclinação do curto capô, tal como no original.
De maneira idêntica, os puxadores das portas dianteiras estão integrados num círculo luminoso. Em contraste, os traseiros estão escondidos no pilar C. Diz a Renault que este estilo inteligente ajuda o Twingo a ser um carro pratico e com boa acessibilidade, mantendo a ideia de que a quarta geração do modelo continua a ser um três portas.
Ao mesmo tempo, a superfície vidrada e o óculo traseiro alargado tentam reinterpretar o desenho original. Por outro lado, as jantes de generosas dimensões colocam o Twingo no século XXI.