De Lisboa à Guarda em elétrico.


A primeira experiência de viagem neste Volvo XC40 P6 Recharge, como não poderia deixar de ser, leva-nos até “casa”. Foi então a cidade da Guarda, a mais alta de Portugal, o destino do primeiro desafio que lançámos ao elétrico mais acessível da Volvo.
Numa viagem para o Algarve ou Alentejo, a planura do terreno ajuda bastante aos consumos dos veículos elétricos. Mas quando nos aventuramos para os lados da recentemente fustigada Serra da Estrela, a conversa é outra.
Saímos de Lisboa, das instalações da Ascendum Auto, rumo à cidade da Guarda. Pela frente temos mais de 300 km de autoestrada. A primeira parte do trajeto é relativamente plana, mas a entrada na Beira Interior e a subida até aos 1000m, até à entrada da cidade da Guarda, é desafiante. A isto, juntamos uma reduzida capacidade aerodinâmica das linhas retas do Volvo XC40 e a velocidade cruzeiro de 120 km/h que iremos manter.
Os Volvo XC40 Recharge utilizam o próprio sistema de ar condicionado do carro para aquecer e arrefecer a bateria. Por isso, mesmo em pano de fundo, ele está quase sempre a funcionar.
Com Google Maps integrado e programação de viagem com estimativa de consumos e pesquisa automática de postos de carregamento pelo percurso, temos a “papinha” toda feita!
Sem nos desviarmos do percurso, podemos carregar em Aveiras ou Santarém na A1, ambas as estações onde chegaríamos ainda com bastante bateria e seria muito pouco eficiente parar para carregar aí.
Partimos com o Volvo XC40 P6 Recharge carregado a 100% e uma temperatura exterior de 26ºC. Ao entrarmos na autoestrada, rapidamente os valores do consumo sobem aos valores esperados. Dessa forma, chegamos a Abrantes com média de 20,5 kWh/100km e 51% de bateria. Para percorrer o resto do caminho que nos falta, fazemos um carregamento de 23m a 47 kW, que nos repõe o nível de bateria nos 80%. E, felizmente, o único posto de carregamento estava disponível! Assim, é tempo para tomar um café e seguir viagem.
A subida dos últimos quilómetros da viagem sente-se nos consumos. Dessa forma, chegámos à cidade da Guarda com 13% de bateria e uma média de 22,9 kWh/100 km, que já reflete as subidas íngremes para cá chegar. Percorremos 326,8 km, a uma média de 110 km/h. A viagem demorou um total de 3:30h (3:05h de condução e 25 minutos no total da paragem para carregar).
Com esta média, poderíamos esperar fazer com o XC40 P6 Recharge cerca de 275 km em autoestrada, a 120 km/h, com uma carga completa. Um pouco mais se a inclinação do terreno for mais favorável.
Comecemos pelos números. Média final do P6 – 22,9 kWh/100 km. Já o P8 registou 28,7 kWh/100 km. Se fizermos as contas, e apesar de um consumo inferior no P6, vemos que com uma bateria de 65 kWh útil no P6 e uma de 75 kWh útil no P8, a autonomia em autoestrada de ambos os modelos revela-se semelhante (275 km no caso P6 e 260 km no caso do P8).
Contas feitas, o custo do “combustível” desta viagem do XC40 P6 Recharge de Lisboa à Guarda foi de 18,93€!
Em detalhe, pelos 116% de bateria necessários para esta viagem, pagámos 6,95€ por uma carga completa em tarifa bi-horária em casa, e 11,98€ por mais 28% no posto de carregamento da A23. E ainda nos sobrou 10% de bateria.
Aqui, acabamos por poupar face ao P8, já que precisamos de menos eletrões para fazer o percurso. Sem contar com os valores das portagens, os custos desta viagem num veículo a combustão equivalente a este Volvo XC40 P6 Recharge, seriam, em média, de 38,92€ a gasolina e 31,21€ a gasóleo.