O conceito de “street food” (comida de rua) chegou à cidade da Guarda com o projecto «Pátio do Reco»,

dinamizado por uma sociedade comercial formada por três irmãos: Victor Matos, Elvira Matos e Paulo Pereira. O negócio, que funciona numa caravana e tem por slogan “We Love Leitão” (“Nós amamos leitão”) teve início no dia 2 de Agosto. A unidade móvel está estacionada no Largo do Mercado Municipal, na cidade da Guarda. O negócio criou dois postos de trabalho permanentes e um em part-time.
O sócio-gerente, Victor Matos, contou ao Jornal A GUARDA que a ideia para o negócio “sobre rodas” começou há cerca de um ano e meio, mas a fase de estudo “foi prolongada” e só se concretizou no dia 2 de Agosto. “Fizemos muitos estudos (os fornecedores, os melhores locais da cidade, etc.) submetemos um pedido prévio à Câmara Municipal da Guarda e ela autorizou a nossa instalação aqui, no Largo do Mercado Municipal”. E acrescentou: “O local não foi ao acaso. Foi aqui por vários factores: o estacionamento, estar dentro da cidade e o Mercado Municipal ter movimento. O facto de termos uma caravana e não estarmos num estabelecimento fixo tem a ver com um sistema de Drive Thru (atendimento dos clientes sem saírem do carro). Achamos que no Inverno o Drive acaba por ser uma mais-valia para os clientes”. De acordo com o responsável, a unidade móvel, que para além do Drive Thrue tem um avançado móvel, foi concebida propositadamente para a Guarda. “Tem uma série de particularidades que, no conjunto, não existe nada igual em Portugal”. Os empresários já patentearam a marca. “A ideia é crescermos em termos nacionais. O nosso plano passa por aí. O começarmos na Guarda tem a ver com o facto de sermos de cá”, justificou Victor Matos.
O «Pátio do Reco» só serve produtos de leitão. “Vendemos sandes de leitão, leitão ao quilo, leitão à unidade e cabeça de leitão. Só vendemos produtos de leitão, porque quando fizemos o estudo, na Guarda não havia oferta. O leitão é assado à moda da Bairrada por um produtor dos Trinta. Recebemos leitão assado de manhã e à tarde”, contou o sócio-gerente. O estabelecimento vende sandes de leitão Regular (3,80 euros), Maxi (4,70 euros), Twin (pack de duas unidades Regular a 7,40 euros) e Wrap de Leitão (com uma base de pão, que leva salada, laranja, molho e leitão) a 4,10 euros. O quilo do leitão é comercializado a 22,50 euros, a unidade a 100 euros e a cabeça a 4,5 euros. O pão utilizado é cozido na hora, ou seja, “as pessoas comem uma sandes de leitão quente e pão também quente, uma particularidade que é única na cidade”.
Em relação à aceitação por parte dos clientes, Victor Matos mostra-se satisfeito. “O feedback tem sido muito positivo. Será pela qualidade do leitão e das sandes. Quando uma pessoa vem três vezes na semana buscar sandes, estamos muito satisfeitos. Estamos acima daquilo que nós tínhamos planeado”. Referiu que o espaço “já começa a ser conhecido na região, pela qualidade dos produtos, e todos os dias nos chegam clientes novos”. “A ideia é desenvolver algumas actividades para incrementar o volume de vendas”, anunciou.
O «Pátio do Reco» aceita encomendas e, segundo o sócio-gerente, “à noite é sempre preferível encomendar. Ao almoço o leitão esgota quase sempre, mas ao jantar esgota sempre e, por isso, convém encomendar sempre”. Disse ainda que “o negócio está montado para o leitão esgotar no dia, porque nunca servimos leitão de um dia para o outro”. O estabelecimento funciona de segunda a sexta-feira as 11.30 às 14.30 horas e das 18.00 às 21.00 horas (de 1 de Junho a 30 de Setembro) e das 17.00 às 20.00 horas (de 1 de Outubro a 31 de Maio). Ao sábado está aberto das 10.30 às 14.00 horas.