Agricultura


A moradora Ester Marques, de 86 anos, orgulha-se de ainda trabalhar diariamente na agricultura, cultivando uma horta, situada nas traseiras da igreja e da casa mortuária de João Antão, que pertence a um dos filhos que está emigrado na França. “Venham cá ver as couves que ali tenho. Até metem cobiça e toda a gente as gaba. Estão muito bonitas”, convidou. A octogenária, já viúva, que se apoiava num pequeno pau, não escondeu a satisfação por ainda se dedicar ao cultivo das terras. “Os meus filhos estão sempre a dizer que eu já não tenho idade para isto, mas eu trato das coisas enquanto puder. Já tenho 86 anos e olhem que o trabalho não me mete medo. Ainda faço inveja a muitos novos. Ainda tenho duas cabrinhas e este ano cultivei renovo para mim”, contou. Ester Marques referiu ainda que se dedica às lides agrícolas no dia-a-dia “para passar o tempo”. “Faço-o mais para passar o tempo e porque gosto muito de trabalhar, porque a agricultura foi a minha criação”, justificou.