Depois de ter fechado o ano de 2019 com uma ligeira queda, as vendas do setor automóvel em Portugal registaram, no mês de março, uma quebra de 56,6% face ao mesmo período em 2019

, devido à crise provocada pelo novo coronavírus (COVID-19). Assim, os representantes legais de marca a operar em Portugal matricularam, no último mês, apenas 12 399 veículos automóveis, dados apresentados pela ACAP – Associação Automóvel de Portugal.No primeiro trimestre de 2020, foram colocados em circulação 52 941 novos veículos, o que representou uma diminuição homóloga de 24% face ao ano anterior.A redução de vendas é mais notória nos automóveis ligeiros de passageiros. Em março de 2020 foram matriculados em Portugal 10 596 automóveis ligeiros de passageiros novos, menos 57,4% do que em março de 2019, e no primeiro trimestre, venderam-se 45 282 unidades, um decréscimo de 23,8% relativamente a período homólogo de 2019. O mercado de automóveis ligeiros de mercadorias registou, em março de 2020, uma quebra de 51,2% (1 557 unidades matriculadas) face a março de 2019, e no primeiro trimestre de 2020 registou menos 24% das vendas (6 636 unidades). Já o mercado de veículos pesados, que engloba os tipos de passageiros e de mercadorias e tratores de mercadorias, sofreu, em março, uma queda de 46,6% em relação ao mês homólogo do ano anterior (246 veículos). De janeiro a março de 2020 as matrículas foram vendidas 1 023 unidades, menos 29,5% relativamente ao período homólogo de 2019.