Projecto de jovem médico-veterinário da cidade


O médico-veterinário Joaquim Canotilho, de 28 anos, criou na Guarda um Centro de Inseminação de sémen bovino, com o objectivo de prestar apoio aos proprietários de explorações pecuárias da região. O Centro começou a funcionar no início da Primavera deste ano e disponibiliza um serviço completo de consultadoria, que engloba, entre outros serviços, ecografia reprodutiva e melhoramento genético. Joaquim Canotilho contou ao Jornal A GUARDA que apostou no projecto após o Ministério da Agricultura ter passado a manter os apoios aos animais, desde que tenham um intervalo máximo de 18 meses entre cada parto, o que veio a aumentar a preocupação com a eficiência reprodutiva das explorações. “Por outro lado, sendo eu também jovem agricultor, lido com os problemas de produção e este é a técnica de maneio reprodutivo que considero ser o ideal para a minha exploração”, acrescentou. Referiu que cada exploração bovina é um caso, mas faz acompanhamento personalizado de forma a que o produtor possa rentabilizar ao máximo a sua exploração”. Em relação às vantagens da inseminação artificial aliada ao aconselhamento técnico, o jovem veterinário referiu: “Conseguimos identificar vacas com problemas reprodutivos, aumentar a facilidade de parto e conseguimos concentrar os partos nas alturas do ano consideradas mais favoráveis. Na nossa região, tenho chegado à conclusão que é uma vantagem. Também é feito o melhoramento genético, porque estamos a falar de sémen de touros de alto rendimento”. Explicou que o sémen de bovino que o seu Centro de Inseminação utiliza “é todo importado de França, embora possa mandar vir de onde quiser, caso o produtor pretenda de outro local”. A armazenagem de sémen é feita no Centro de Inseminação, num contentor de azoto líquido. “O sémen é comprado, é armazenado no contentor de azoto líquido e vai sendo utilizado à medida das necessidades, porque tem um prazo de validade muito grande”, esclareceu.
O Centro de Inseminação de sémen bovino de Joaquim Canotilho tem disponibilizado serviços essencialmente na região, como Almeida, Guarda e Sabugal. “Mas, como é um serviço programado, podemos percorrer outras distâncias”, disse o veterinário, apontando que já existia inseminação artificial na região, mas não estava integrada em serviços médico-veterinários. Segundo Joaquim Canotilho, o recurso ao Centro está a ter boa aceitação, porque actualmente os produtores “fazem mais contas, começam a ouvir falar desta técnica e notam que pode trazer mais vantagens”. A unidade tem como clientes grandes explorações de bovinos, mas também tem prestado apoio a pequenos produtores com 4 ou 5 vacas, que recorrem à inseminação artificial em vez de apostarem num boi.
O veterinário, que tirou o curso fora da Guarda e regressou à cidade onde nasceu, onde se instalou com a esposa, Carolina Canotilho, de 28 anos, também veterinária, disse ainda que presta serviço de clínica veterinária em ambulatório. Está sempre disponível 24 horas por dia, por isso, os pedidos para as deslocações às explorações têm aumentado. Neste caso, os clientes ultrapassam as fronteiras do distrito da Guarda, pois já se deslocou a concelhos como Idanha-a-Nova, Penamacor e Fundão, no distrito de Castelo Branco. Para além da colaboração da esposa, Joaquim Canotilho tem o apoio esporádico do irmão, João Canotilho, de 25 anos, que está no último ano do curso de médico-veterinário.