A empresa «Blue Guardian - Sistemas de Segurança», com sede na Avenida Cidade de Waterbury, n.º1 R/C, na cidade da Guarda,

dedicada aos sistemas de segurança nas suas diversas áreas, tem clientes em todo o território nacional e também no estrangeiro. A empresa surgiu em 2014 por iniciativa de Hugo Vendeiro, de 32 anos, natural de Fernão Joanes, no concelho da Guarda. O proprietário contou ao Jornal A GUARDA que antes de apostar na criação do próprio negócio trabalhou seis anos numa empresa de segurança de âmbito nacional. “Depois, como vi que na Guarda não havia empresas especializadas, decidi então apostar e, até agora, é uma aposta conseguida”, disse, acrescentando que a firma tem “uma área de abrangência a nível nacional e internacional”, com clientes empresariais e particulares. A «Blue Guardian» é uma empresa dedicada aos sistemas de segurança nas suas diversas áreas. De acordo com o proprietário, “reúne uma vasta experiência no sector da prestação de serviços, fruto do trabalho desenvolvido ao longo de anos nesta área”. A mesma está certificada para desenvolver a sua actividade na instalação, comercialização e manutenção de sistemas de segurança, disponibilizando soluções integradas em sistemas de detecção de intrusão, sistemas de detecção de incêndio (convencional/analógico), controlo de acessos, videovigilância, assistência técnica e instalações eléctricas. Para a empresa de Hugo Vendeiro, que oferece serviços personalizados, “a segurança não é um luxo, é uma necessidade”. Em relação aos clientes particulares, o empresário contou que, “por norma”, os sistemas de segurança “são procurados pelas pessoas mais jovens, por já se precaverem nestas situações” e “por exemplo, na construção de casas, já pensam nesse elemento como um factor importante”. “As pessoas mais antigas, (só se decidem pela instalação de alarmes nas casas) depois de lhes acontecer algum infortúnio. Agora, os mais jovens vêm a questão da segurança como um factor fundamental na construção de uma casa ou na abertura de um negócio”, rematou. Observou ainda que algumas pessoas, que vivem em apartamentos, “não tomam as devidas precauções” em relação à segurança e “só depois de lhes acontecer alguma coisa é que se lembram”. No entanto, o responsável reconhece que, “de uma forma geral, as pessoas começam a ter uma noção das coisas” e a terem preocupações com a segurança das habitações. Um alarme “é um factor de dissuasão enorme e é também um meio de prevenção”, disse, assinalando que os sistemas de videovigilância que instala permitem que as pessoas vejam em tempo real as suas casas e os seus comércios. Em relação às ofertas disponibilizadas, Hugo Vendeiro explicou que “são personalizadas”. “Há clientes que preferem sistemas de detecção de intrusão e outros só de vigilância. Eu tento explicar ao cliente todas as vantagens do sistema mas, no final, fazemos uma solução personalizada ao sistema que ele pretende. Ou seja, é dada uma resposta à necessidade do cliente”. A título de exemplo, referiu que é possível instalar um sistema de detecção de intrusão num apartamento a partir de 250 euros. Explicou ainda que o cliente compra o equipamento e, ao contrário de outras empresas do ramo, não existem mensalidades nem fidelizações. “Havendo intrusão, quem recebe a mensagem é logo o cliente. É o cliente que faz a gestão inteira do sistema”, disse.
Hugo Vendeiro é o único elemento da empresa «Blue Guardian». É ele que faz a prospecção do mercado e a instalação dos sistemas de segurança que comercializa. No futuro, disse ao Jornal A GUARDA que pretende fazer a empresa “crescer”. “Um objectivo que tenho a longo prazo é abrir uma filial em Coimbra e também empregar mais pessoas. Fazer com que a empresa cresça e se desenvolva é o meu grande objectivo”, afirmou.