Iniciativa da EDP


Três casas do distrito da Guarda estão a disputar o concurso “A Casa Mais Eficiente de Portugal”, promovido pela EDP em parceria com o National Geographic Channel. O concurso que vai premiar a família com a Casa Mais Eficiente de Portugal no que diz respeito aos seus consumos energéticos, seleccionou, após as candidaturas, 50 casas a nível nacional. O distrito da Guarda está representado por uma casa do concelho da Guarda (Quinta Gardénia - Panoias de Cima), outra de Trancoso e outra de Seia.
Após a selecção das 50 casas, que foram escolhidas após a realização de auditorias energéticas da EDP, um painel de júri com personalidades ligadas à arquitectura, engenharia e temáticas de eficiência energética irá seleccionar as 5 casas mais eficientes de Portugal, que serão apresentadas como exemplos a seguir em termos de práticas energéticas eficientes, através de spots televisivos que irão ser emitidos no National Geographic Channel, na FOX e na FOX Life. Dessas cinco casas será apurado o vencedor que será premiado com um carro eléctrico Renault Twizy. O prazo para elaboração do Top 5 decorre até ao dia 22 de Fevereiro de 2016 e o prazo para a entrega do prémio ao vencedor terminará a 18 de Abril.
Segundo os promotores, esta iniciativa tem como principal objectivo sensibilizar os consumidores portugueses para os melhores comportamentos em termos de eficiência energética mostrando como é possível diminuir o valor da factura de energia, sem abdicar do conforto. A iniciativa da EDP é realizada no âmbito do Plano de Promoção de Eficiência no Consumo, promovido pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos.
O concorrente do concelho da Guarda, Fernando Gouveia, disse ao Jornal A GUARDA que a sua família está orgulhosa por ter sido escolhida para integrar o painel das 50 casas seleccionadas para a primeira fase do concurso e que ficaria muito feliz se fosse a vencedora. “Gastei uma fortuna em energias alternativas e em isolamentos térmicos e concorri para poder ver o meu esforço reconhecido”, disse. Explicou que decidiu concorrer porque pretende “promover as energias alternativas e a conservação do meio ambiente e alertar as pessoas para que evitem ao máximo tudo o que tem a ver com energias produzidas a partir de petróleos”. Segundo Fernando Gouveia, na construção da sua habitação utilizou técnicas que permitem a redução dos consumos de energia. “Na minha casa utilizo energias alternativas tanto para aquecimento de água (geotermia e solar) como para o aquecimento interior (geotermia) e para a produção de energia eléctrica”. O proprietário referiu ainda que a habitação “tem um sistema de isolamento térmico e acústico invulgar em que não é necessário utilizar ar condicionado no Verão”. “É uma casa que, por exemplo, foi construída a um metro de altura do chão, tem uma caixa-de-ar com um metro de altura”, concluiu Fernando Gouveia.