A marca de Wolfsburg “perdeu a cabeça” e arriscou.

Até porque não é um segmento que represente um número de vendas significativo. Se é verdade que muitas marcas já abandonaram o segmento dos descapotáveis, também é verdade que os SUV continuam a crescer. A Volkswagen não é pioneira, mas decidiu aplicar a mesma receita de unir o conceito de descapotável ao segmento SUV, dando origem ao lançamento do novo VW T-Roc Cabrio.
Com linhas semelhantes ao modelo normal, este novo SUV compacto não encontra, para já, qualquer concorrente, já que o Range Rover Evoque Cabrio não é produzido na atual geração. Após a primeira aparição em 2016, ainda sob a forma de protótipo, o VW T-Roc Cabrio passou à produção e já se encontra disponível em alguns mercados, como o alemão. Fabricado em Osnabrück, na Alemanha – e não na Autoeuropa, em Palmela, onde é fabricado o modelo de teto rígido, como o VW T-Roc R – o VW T-Roc Cabrio sofreu bastantes modificações para receber uma capota em lona.Não foi apenas o tejadilho que foi removido. Na verdade, apenas a frente se mantém igual ao modelo rígido. Ao invés de cinco lugares, tem agora quatro (2+2), otimizando o espaço a bordo – devido aos mecanismos de abertura e fecho da capota. As portas foram reduzidas a duas, por necessidade de reforço da estrutura.O chassis foi reestruturado para assegurar uma superior rigidez torcional. A distância entre eixos aumentou em 37 mm – passam a 2,63 m e conta ainda com 4,27 m de comprimento, 1,81 m de largura e 1,52 m de altura. O baixo centro de gravidade sublinha a dinâmica do carro, graças à relação de largura-altura. O volume da bagageira reduziu, mas ainda é possível contar com uma capacidade de 280 l.A capota segue um estilo clássico, a par com o que acontece com o Golf cabrio. Composta por três camadas, permite uma abertura e fecho fáceis até aos 30 km/h, em cerca de dez segundos. Em conjunto com o sistema “keyless”, é possível acionar a capota através da chave numa distância até 1,5 m. Como opcional, pode ainda equipar o T-Roc Cabrio com um corta-vento, abdicando neste caso dos lugares traseiros.Mesmo com a ausência de uma capota rígida e pilares central e traseiro, a Volkswagen diz ser possível atingir as cinco estrelas nos testes de segurança, tal como o modelo de tejadilho rígido. Para isso, além dos reforços estruturais, o VW T-Roc Cabrio vem equipado com um sistema de proteção em caso de capotamento, dado que numa fração de segundo, dois painéis expandem-se atrás dos apoios de cabeça traseiros, protegendo os ocupantes.No interior, o cockpit é semelhante aos demais modelos da marca alemã. Com uma vertente tecnológica marcada por dois ecrãs digitais – um no Cockpit Digital de 11,73†(de série na versão R-Line) e outro no sistema de info-entretenimento “Discover Media”, que possui um pacote de conectividade online através de e-SIM. Está ainda disponível um sistema de som “beats” de 12 canais.O T-Roc Cabrio estará disponível nos níveis de equipamento Style e R-Line, contando apenas com duas motorizações, ambas a gasolina: o três cilindros 1.0 TSI de 115 cv e 200 Nm de binário, acoplado a uma caixa manual de seis velocidades; e o quatro cilindros 1.5 TSI de 150 cv e 250 Nm de binário, sendo que este poderá ser acoplado a uma caixa manual de seis velocidades ou automática DSG de sete velocidades. Este último equipa ainda um sistema de desativação dos cilindros (ACT), que desliga temporariamente dois cilindros em caso de um estilo de condução constante.O VW T-Roc Cabrio será lançado em Portugal em meados do segundo trimestre de 2020, com preços a começar nos 32 750€.