Na estrada com...


Com o sucesso de vendas do crossover Captur, não seria, para já, necessário inventar nada… ainda assim a Renault fê-lo. Uma parceria com a marca norueguesa de roupa de desportos e atividades de lazer outdoor, a Helly Hansen, permitiu à marca lançar uma edição especial do Captur, que para além de se destacar pelas suas cores exclusivas, denuncia um caráter mais aventureiro graças às proteções dos para-choques dianteiro e traseiro em cinzento platina, às jantes de 17'’ pretas diamantadas e mais alguns pormenores.
Esta série limitada Helly Hansen está disponível em várias cores de carroçaria, sempre com combinação de dois tons: vermelho com teto preto como esta, preto etoile com teto marfim, cinzento cassiopeia com teto preto, entre outras.  Paralelamente, também o interior vem personalizado a rigor, com soleiras das portas, costuras, molduras e outros pormenores exclusivos. Os bancos perdem o forro removível, mas são parcialmente em couro, uma vez mais exclusivos desta versão e ligeiramente mais confortáveis.
Em relação a equipamento, contamos com navegação conectada R-Link, ar condicionado automático, auxílio ao estacionamento com câmara de marcha atrás, e um novo sistema Grip Control, que oferece ao condutor a possibilidade de escolher entre três modos de aderência: “Estrada”, “Fora de estrada” e “Todo-o-terreno”. A intenção é boa e em situações de neve ou lama, a velocidades muito reduzidas, poderá fazer a diferença, mas só aí… porque acima dos 40 Km/h o sistema passa automaticamente para o modo estrada e a experiência termina. O sistema não é mais que um controlo de tração inteligente para ultrapassar zonas com piso de menor aderência. E para isso, o Helly Hansen conta também, de série, com pneus mistos (lama e neve), mas em asfalto a aderência diminui, naturalmente. O motor de que dispõe é o 1.5 dCi de 90cv, agradável e económico, principalmente em modo Eco, embora a castração ao motor seja demasiado evidente. Em qualquer dos casos, valores a rondar os cinco litros são facilmente possíveis. Também aqui a Renault podia ter aproveitado para “inventar”. Uma versão mais potente do mesmo bloco era bem-vinda e permitiria ao Captur outros andamentos… ainda mais agradáveis.  Com uma condução fácil e versátil para a qual contribui a direção bastante leve e comandos fáceis de dosear, apenas a pouca precisão da caixa de cinco velocidades compromete ligeiramente este capítulo, ainda que passe despercebida.
A Renault pede 23.360 euros por este Captur Energy dCi 90 S&S ECO2 Helly Hansen. Se algo for indiscutível, é que se trata de um valor que arrasa qualquer atual concorrência. O Renault Captur Helly Hansen tem 1461 c.c. de cilindrada, 90 cv  e atinge os 171 Km/h. A aceleração dos 0-100 Km/h é conseguida em 13,1 segundos. O consumo combinado anunciado é de 3,8 l/100 Km e as emissões de 99 g/km.