Na estrada com...


A etiqueta “Carro do Ano” realça o posicionamento conquistado pelo Peugeot 308. A variante SW vem acrescentar não só mais um módulo à gama como, também, valorizar o conceito de um automóvel familiar. O desenvolvimento do projeto emprestou ao modelo um conjunto de caraterísticas que o destacam. As linhas simples do exterior acabaram por realçar a sedução que é transportada para interior. Com traços minimalistas, são o condutor e os ocupantes os principais privilegiados, tendo sido construído em redor deles. A ergonomia dos comandos reunidos num sistema que agrupa as principais funções proporciona simplicidade de gestos, para além de se poderem desfrutar de equipamentos sofisticados e que elevam a fasquia de qualidade de vida a bordo. Do sistema multimédia integrado passando pelo cruise control, sistema de climatização, iluminação full led, teto panorâmico e um habitáculo que pode chegar aos 1 660 litros, tudo contribui para o bem estar.    
Ao volante, desde logo sentimos o efeito da aposta realizada na construção de um habitáculo em que o condutor é o protagonista. Os olhos não se perdem em desenhos e linhas estilísticas pontilhadas por botões; as mãos depressa sentem um volante mais pequeno, logo mais direto na condução. Pela frente fica a estrada mais visível com o tablier abaixo da linha a que nos habituámos. Nos primeiros instantes, sentimos reações mais rápidas do volante e uma filtragem da suspensão que já há algum tempo não sentíamos na marca. Estamos, de novo, a sentir sensações intemporais de um construtor que sempre teve como cartão-de-visita um dos melhores compromissos entre eficácia e conforto. Depressa nos sentimos à vontade pela capacidade de filtragem das irregularidades e pela eficácia em curva. As reações da SW são muito sãs e, para além de uma apreciação mais pura das reações, sentimo-nos embalados pela qualidade de rolamento.
O motor, pertencente à nova família Blue HDi (norma Euro 6), permite reduzir o óxido de carbono em mais de 90 %, otimizar as emissões de CO2, o consumo e eliminar as partículas a 99,9 %. Dotado das mais recentes evoluções do grupo PSA, exibe um comportamento muito linear ao longo das rotações a que não é alheio o escalonamento da caixa de 6 relações, se bem que as últimas sejam longas. Este facto traduz-se em recuperações céleres nas primeiras relações, para depois podemos desfrutar de um comportamento mais calmo e mais económico com consumos abaixo dos 6 litros.
Com uma silhueta elitista pela simplicidade das formas, um habitáculo bem construído, equipamento superior e um espaço interior versátil, o 308 SW reúne os argumentos necessários para não ter que provar por “A+B” que é o “Carro do Ano”.