Cada vez mais os conceitos de mobilidade passam por uma interação entre a utilidade,

a economia e a racionalidade. Se o meio urbano é aquele que exige um maior comprometimento nas deslocações diárias, não é menos verdade que essas deslocações podem incluir uma ou outra viagem mais longa. Para se conseguir este compromisso interurbano é necessário um veículo capaz de satisfazer a combinação das exigências quotidianas: medidas compactas, dinâmico, bem equipado, confortável, espaçoso q.b.. É assim que se pode definir o novo i10 da Hyundai. As linhas compactas traduzem a linguagem estilística “fluidic sculpture” da marca, conciliando design desportivo e modernidade. A frente dinâmica incorpora faróis diurnos em Led, que com a linha lateral fluida e a traseira limpa de artifícios estéticos conferem-lhe uma imagem personalizada.
Esta é a sensação que passa para o interior. De linhas suaves, a combinação dos traços das linhas e da ergonomia permitiram a criação de um ambiente a bordo confortável e com uma grande facilidade de utilização dos comandos. O painel de instrumentos combina informação analógica e digital expressa no útil e funcional computador de bordo. Do equipamento disponível na gama do i10 destaca-se a chave inteligente, o sistema de áudio mp3 com entrada USB e AUX, volante regulável em altura, bancos aquecidos, volante multifunções, ar condicionado automático, cruise control, computador de bordo, sensores de estacionamento, controlo de estabilidade e auxílio de arranques em subida, entre outros.   
Ideal para transportar quatro passageiros, é na altura ao teto que se nota uma grande habitabilidade, incluindo nos bancos traseiros. Para além disso, é de destacar os 225 litros de capacidade da bagageira que pode chegar aos 1 046 l, e os inúmeros espaços disponíveis no habitáculo.  
Ao volante, a sensação de dinamismo sente-se desde logo pela posição de condução, a visibilidade em todos os ângulos e na capacidade de amortecimento. Estamos certos que a utilização desde carro será maioritariamente em meio urbano. Para tal, a Hyundai colocou no modelo um evoluído bloco de 3 cilindros a gasolina 1.0 MPi que debita 66 cv às 5.500 rpm, emitindo 108 g de CO2. Com uma excelente filtragem de vibrações, o pequeno motor oferece performances adequadas a um desempenho despreocupado e com consumos reais abaixo dos 5 l por cada 100 km percorridos. A suspensão, independente à frente e dotada de um eixo de torção atrás, acompanha bem as irregularidades do terreno, que associado a um sistema de travagem com 4 discos, permite grande à vontade nos desafios diários. Trata-se de uma nova geração de modelos que a Hyundai faz questão de sublinhar pela homogeneidade do produto e pelo rigor de construção. A nova gama do i10 está disponível no mercado por 9 990 euros.