Mais dois anos de colaboração

Arrancou este fim de semana o Campeonato do Mundo de MotoGP, no Qatar. Na prova de abertura, o português Miguel Oliveira ficou em 13º lugar, somando três pontos. O piloto lamentou o “desgaste do pneu dianteiro” da sua RC16 que o impediu de ir além do 13º lugar no Grande Prémio do Qatar. Miguel Oliveira foi este ano promovido à equipa oficial da KTM, depois de, no ano passado, ter defendido as cores da Tech3. Entretanto, Miguel Oliveira e a Cofidis assinaram um contrato, por dois anos, prolongando uma parceria que dura desde 2017.Sébastien Haquette, Diretor Geral da Cofidis Portugal referiu que “o Miguel Oliveira é uma das personalidades mais acarinhadas do país, pela sua determinação e pelo percurso sólido que tem desenvolvido. E a assinatura por dois anos só demonstra a confiança que temos nele, já que, é um atleta de excelência. Irá dar muitos alegrias aos portugueses.”O evento contou com um período de conversa entre Miguel Oliveira e alguns dos responsáveis da Cofidis, antes da assinatura digital do contrato. Houve ainda a oportunidade de interagir com o público, de forma remota. Através do chat da plataforma, foi possível deixar comentários e questões no decorrer da cerimónia.Para o piloto, “trata-se do reconhecimento e da manutenção da confiança no trabalho desenvolvido nos últimos cinco anos. E, nesta nova época, é muito importante contar com o apoio de um parceiro estratégico, como é a Cofidis. Uma vez que, tal como nos últimos cinco anos, tem estado presente em todas as etapas.”Miguel Oliveira venceu o Grande Prémio de Portugal de MotoGP. Terminou a edição de 2020 do Mundial na nona posição, com 125 pontos e duas vitórias somadas.O desportista continua ainda a apostar na formação com o projeto ‘Oliveira Cup’, que criou em 2017, que é um projeto pedagógico pioneiro e de referência, dirigido a jovens dos 5 aos 14 anos, orientado para a promoção dos futuros campeões de motociclismo, uma modalidade em franco crescimento.Recorde-se ainda que, Miguel Oliveira foi, de novo, nomeado “Atleta Masculino do Ano”, prémio entregue pela Confederação do Desporto de Portugal.