Mário Patrão terminou a sua participação no Panafrica Rally em 8º lugar.

Na prova de todo-o-terreno que se disputou no Norte de África, o piloto de Seia gastou 18h33m32s para cumprir os exigentes 1500 km desta competição desenrolada na região de Merzouga. No pódio, esteve o português Joaquim Rodrigues, que conseguiu um tempo acumulado de 16h06:43, seguido do italiano Jacopo Cerutti (Hero) e do luso-alemão Sebastien Bühler (KTM).
Na última etapa que se disputou na sexta feira, dia 27, integralmente em piso de areia, Patrão conseguiu a 16ª posição. À chegada, o piloto mostrou-se satisfeito com o resultado: “Foi um rali que se pode considerar relativamente bom, porque já não andava com uma mota de rally desde a queda no Dakar. Foram seis dias bons, com roadbooks longos, difíceis, dias duros, de muito calor. Foi um bom teste. Não sinto que esteja a 100%, mas sinto que estou a recuperar e essa parte é fundamental. É fundamental estar bem, estar confiante, o físico ir recuperando dia após dia. Saímos daqui com o oitavo posto. Penso que é um bom resultado. Um dos principais objetivos era não cair, não me lesionar e não estragar o trabalho de recuperação que foi feito até agora. Foi bom ter vindo, foi bom por não me ter magoado, estou satisfeito pela navegação que se fez, mas há que continuar a trabalhar”.
O piloto da MÁRIOPATRÃOMOTOSPORT-CRÉDITOAGRÍCOLA-BAHCO vai agora disputar o Rali de Marrocos que decorre entre 3 e 9 de outubro, última prova do Campeonato do Mundo, com os mesmos objetivos: recuperação e preparação para o Dakar. “Sabemos que vai ser um rali muito difícil, mas o importante é, como sempre, dar o nosso melhor”, concluiu.