Mário Patrão prossegue no Rallye du Maroc com uma evolução de altos e baixos e alguma cautela.

O piloto de Seia iniciou a prova na sexta-feira, com o prólogo que se disputou em Fez e, ao volante da KTM Factory Racing realizou o 17º tempo, tendo gasto 6m47s para percorrer os 7,30 km da super especial. No sábado, a etapa, realizada de forma cuidadosa, ligou Fez até Erfoud, onde se situava o bivouac das três etapas seguintes. A especial contou com um total de 494,09 km divididos em dois setores seletivos. No domingo, Mário Patrão, enfrentou uma etapa supermaratona, com quase quatrocentos quilómetros e extremamente complicada do ponto de vista de navegação.
Na segunda feira concluiu a segunda parte da etapa supermaratona – a mais exigente deste Rallye du Maroc - em mais de cinco horas e sob um intenso calor, em 23º tempo de entre um total de 61 pilotos inscritos. A etapa deveria ter tido três especiais, mas a última foi anulada por questões de segurança. A condicionar a performance dos pilotos esteve também uma alteração ao nível dos roadbooks que, ao contrário do habitual, foram entregues pouco antes do arranque para a especial do dia, não permitindo o estudo prévio das notas. Um problema mecânico e a condução precaucional que se seguiu atrasaram ainda mais o piloto.