Cultura

Teatro Municipal da Guarda

Sabugal | Bendada


Teatro Municipal da Guarda

“Damas da Noite - uma farsa de Elmano Sancho2 sobre ao palco do Grande Auditório do Teatro Municipal da Guarda esta noite (23 de Janeiro), ás 21.30 horas. Trata-se de um “surpreendente espectáculo sobre a diferença, o contraditório e a transformação”.Elmano Sancho evoca a conflituosa reviravolta de expectativas em torno do seu nascimento para levantar o véu de Damas da Noite: os pais esperavam uma menina, de nome já destinado, Cléopâtre, mas nasceu um menino. Para erguer essa figura ficcionada chamada Cléopâtre, Elmano Sancho imergiu no mundo fascinante e provocador do transformismo. Os artistas transformistas “vestem a pele de um outro, tentam ser um outro”. São “flores que abrem de noite”, intérpretes de uma transformação “pautada pela transgressão, o desconforto, a ambiguidade, a brutalidade dos corpos e a violência das emoções”. Através dessa interpretação paradoxal da diferença, Damas da Noite explora a presença ou ausência de fronteiras entre realidade e ficção, actor e personagem, homem e mulher, teatro e performance, tragédia e comédia, original e cópia, interior e exterior, dia e noite.

The Black Mamba - Good Times Tour

The Black Mamba - Good Times Tour é a proposta do Teatro Municipal para o Grande Auditório, no sábado, 25 de Janeiro, a partir das 21.30 horas. Quase a completar 10 anos de carreira de grande sucesso junto do público (esgotando salas e coliseus), The Black Mamba apresentam a Good Times Tour: uma série de concertos exclusivos, apenas em teatros, e em que a banda irá reviver os seus primeiros tempos de fusão de rock, funk, blues e pop. Uma das bandas de maior aclamação pública da última década em Portugal pela primeira vez no Teatro Municipal da Guarda.

Transversalidades - Fotografia Sem Fronteiras (2019)

A exposição “Transversalidades - Fotografia Sem Fronteiras (2019)” ainda pode ser visitada até amanhã, sexta-feira, 24 de Janeiro, na Galeria de Arte  do Teatro Municipal da Guarda.O valor estético, documental e pedagógico que a imagem pode assumir é utilizado pelo Centro de Estudos Ibéricos como fundamento do projecto ”Transversalidades - Fotografia sem Fronteiras”, que coloca os fins múltiplos da imagem ao serviço da coesão do território, da inclusão dos lugares menos visíveis, do inventário da pluralidade de recursos e da valorização das paisagens, culturas e patrimónios. Os resultados quantitativos e qualitativos expressivos alcançados nesta oitava edição atestam a maturidade do Concurso ”Transversalidades - Fotografia sem Fronteiras”: mais de oitocentos (800) participantes, oriundos de mais de 70 países de todos os Continentes, asseguram uma representatividade alargada, tanto geográfica como profissional. A mostra faculta uma viagem por amplas e diversas geografias, permite ler e interpretar as paisagens naturais, económicas, sociais e culturais representativas de distintos contextos dispersos pelos cinco continentes.