Cultura

Iniciativa do Museu da Presidência da República
Exposições de arte no Museu e na Galeria de Arte do Paço da Cultura

O Museu da Presidência da República, em parceria com a Direcção Regional de Cultura Centro e com a Associação Nacional de Farmácias, inaugurou, no dia 10 de Junho, na Guarda, no âmbito das comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, duas exposições de artes plásticas, com obras do Museu da Guarda e da colecção de António Piné.
“Incursões - Arte Portuguesa Contemporânea, Colecção António Piné” resulta de uma parceria com a Associação Nacional de Farmácias, detentora da colecção. Para esta mostra foram seleccionados alguns trabalhos ilustrativos das correntes estéticas que caracterizaram a arte portuguesa a partir da segunda metade do século XX. Paula Rêgo, Vieira da Silva, Júlio Pomar, Manuel Cargaleiro, Cruzeiro Seixas, Julião Sarmento e Rui Chafes são alguns dos artistas representados nesta exposição.
Movido por um intenso gosto pela arte, António Piné, farmacêutico de profissão, constituiu ao longo dos anos uma significativa colecção de pintura e escultura, que integra obras nacionais e internacionais, produzidas entre as décadas de 1940 e 1990, refere a organização.
A outra exposição, “Pontos de Vista - Colecção revisitada do Museu da Guarda”, resulta de uma selecção representativa da colecção de pintura do Museu da Guarda. Reúne cerca de 70 pinturas de autores portugueses do século XVI e dos séculos XIX e XX. Conta com obras da autoria de alguns dos mais relevantes artistas plásticos nacionais como Columbano Bordalo Pinheiro, Carlos Reis, António Carneiro, Adelaide Cruz, Eduardo Malta, Eduarda Lapa, Veloso Salgado, Falcão Trigoso e João Vaz.
A exposição “Incursões - Arte Portuguesa Contemporânea, Colecção António Piné” pode ser visitada, no Museu da Guarda, até 10 de Dezembro, de terça-feira a domingo, das 10.00 às 19.00 horas. “Pontos de Vista - Colecção revisitada do Museu da Guarda”, fica patente até 9 de Dezembro, na Galeria de Arte do Paço da Cultura, podendo ser visitada de terça-feira a sábado, das 14.00 às 20.00 horas.

Programação de Junho, na Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço
Destaque bibliográfico sobre ambiente e oceanos

Em Junho, para assinalar o “Dia Mundial do ambiente” (dia 5) e o “Dia Mundial dos Oceanos” (dia 8), a Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço tem em destaque bibliografia referente ao ambiente e aos oceanos, através de uma mostra no átrio de entrada da biblioteca.
No dia 2 terá lugar na Sala Tempo e Poesia, das 9.30 às 17.00 horas, o seminário “Abrindo Caminho para a Igualdade”, organizado pela Federação Nacional das Associações Juvenis e pela Federação das Associações Juvenis do Distrito da Guarda.
A exposição “Nuno de Montemor: Alma Brava e Meiga”, integrada no “Ciclo Nuno de Montemor” organizado pelas Câmaras Municipais da Guarda e do Sabugal, pode ser visitada em diferentes espaços da biblioteca, até ao dia 12 de Julho. Trata-se de uma mostra composta por 19 painéis onde são tratados os temas: “O homem”, “O lactário”, “O escritor” e um painel extra sob o título de “etc.”, do qual fazem parte excertos de uma carta de 1960 e de uma entrevista, nas quais é feita referência a Nuno de Montemor. Fazem ainda parte da exposição obras do autor, documentos, bens pessoais, peças de mobiliário e objectos do lactário ligados às crianças.
Hoje, dia 5, é inaugurada a exposição “I Concurso Nacional de Fotografia Quercus/Sociedade Ponto Verde” , resultante do concurso com o mesmo nome, promovido pela Quercus.
A mostra é composta pelas 50 fotografias vencedoras nas 5 categorias do concurso: Água (vida, natureza e paisagem); Reciclagem de embalagens; Atentados e boas práticas; Fauna Selvagem e Fotografia com telemóvel. A iniciativa teve como objectivo a observação e protecção da natureza através da actividade fotográfica.
Dia 14, pelas 16.00 horas, será apresentado o livro “As Ninfas do Índico”, de Jerónimo Jarmelo (pseudónimo de Jerónimo Pereira Santos), natural de Castanheira do Jarmelo – Guarda.
À semelhança de anos anteriores a BMEL retoma a iniciativa dos Piqueniques Literários onde todos são convidados a partilhar as suas leituras ao ar livre. A iniciativa vai realizar-se às quartas-feiras, às 18.00 horas, nos espaços verdes da biblioteca. Este mês terão lugar duas sessões, dias 18 e 25.
De 27 para 28, dezoito crianças do concelho passarão literalmente uma noite na biblioteca. É mais uma edição da iniciativa anual, “Chiu! Não vamos dormir… Uma noite na biblioteca”.
Quanto às habituais actividades para a promoção do livro e da leitura realizam-se nas seguintes datas: Nos dias 2 e 9 têm lugar as 112 Leituras; A Quinta dos Contos realiza-se nos dias 5, 12, 19 e 26; O encontro com miúdos e graúdos, Em família…na biblioteca acontece nos dias 7 e 21.
Até 31 de Julho, está a decorrer a “Campanha de Recolha de Manuais Escolares – Ler e Reler”.

Guarda
As músicas do mundo dos “Dorahoag”

Entre os ritmos dos Balcãs e as melodias Ibéricas andam as músicas do mundo do projecto “Dohahoag”. O trio atua no Café Concerto no próximo dia 6 de Junho (sexta-feira), às 22h00.
Trata-se de um projecto de músicas do mundo centrado na expressão de instrumentos de cordas da Europa e Ásia, em formato trio. Dorahoag propõe composições originais inspiradas pelas culturas e tradições de diferentes povos misturados com ritmos e melodias modernas.
O grupo é formado por Ruben Monteiro (rabab afegão, alaúde turco, bouzouki e saz baglama), João Pedro Caiano (guitarra e bouzouki) e Dinis Coelho (cajon, darbouka, frame).

Guarda
Museu inaugura exposição com colecção de António Piné

“Exposição Incursões: Arte Portuguesa Contemporânea – Colecção António Piné” é o tema da exposição que vai ser inaugurada no dia 9 de Junho, no Museu da Guarda. A cerimónia está marcada para as 15.00 horas, e conta com a presença do Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva. Esta exposição acontece no âmbito das comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas.

Guarda
Ciclo dedicado a Nuno de Montemor divulga o escritor e a sua obra

Vila Nova Foz Côa
Diálogos contemporâneos com a arte do Côa

O Museu do Côa acolhe trabalhos dos alunos de Artes - 11.º e 12.º ano, do Agrupamento de Escolas de Pinhel, iniciativa resultante de um desafio lançado na edição do Côa Criativo 2013 pela Territórios do Côa – Associação de Desenvolvimento Regional.
Reinterpretar a Arte Rupestre do Vale do Côa foi o mote deste projecto que pode ser visitado até 14 de Julho.

 

Pinhel
Exposição “A Pedalar com Documentos”

O Castelo de Pinhel acolhe, até 31 de Agosto, a exposição “A Pedalar com Documentos”.
Esta exposição resulta de uma organização conjunta do Museu Municipal e do Arquivo Municipal de Pinhel a fim de comemorar o Dia Internacional dos Museus (18 de Maio) e o Dia Internacional dos Arquivos (9 de Junho).
Através de documentos, mas também de objectos (nomeadamente objectos cedidos pela comunidade pinhelense), serão recordados outros tempos, não muito distantes... quando a bicicleta era um meio de transporte privilegiado (mas não privilégio de todos) e quando era necessário ter carta de condução de bicicletas, os chamados "velocípedes sem motor", para se poder circular na via pública...

 

No Pequeno Auditório, dias 30 e 31 de maio
MIMA-FATÁXA, com Ana Deus e Ricardo Bueno envolve guardenses em situação de desemprego

Numa actividade de envolvimento da comunidade, a artista Ana Deus e o actor Ricardo Bueno estão a trabalhar, desde segunda-feira, 26 de Maio, até hoje, 29 de Maio, com um grupo de guardenses em situação de desemprego, ensaiando seis horas por dia. No seguimento desta iniciativa, esta sexta-feira e sábado, dias 30 e 31 de Maio, surgirá no palco do Pequeno Auditório o espectáculo “MIMA-FATÁXA“, de João Sousa Cardoso.
No dia 30, a sessão será exclusiva para as escolas e está marcada para as 15.00 horas e no dia 31, sábado, a sessão será para o público em geral, às 21.30 horas.
O espectáculo parte de três textos de Almada Negreiros – Os Ingleses Fumam Cachimbo (1919), MIMA-FATÁXA (1916) e A Cena do Ódio (1915) – interpretados pela cantora Ana Deus e pelo actor Ricardo Bueno, acompanhados por vinte e cinco participantes locais.
«MIMA-FATÁXA convoca a radicalidade das formas e das ideias do Modernismo, propondo um confronto com o presente de Portugal e da Europa. Cruzando a conversa e a representação, o teatro e a memória do plateau de cinema, o ensaio e o espectáculo, os profissionais e os amadores, João Sousa Cardoso explora a diluição das disciplinas artísticas e MIMA-FATÁXA reivindica, cem anos depois, o inconformismo que animou Almada Negreiros e que, no início deste século, nos encoraja de novo».
Esta iniciativa é apresentada no âmbito da Rede 5 Sentidos, constituída pelo Teatro Municipal da Guarda, Teatro Viriato, Centro Cultural Vila Flor, Centro de Artes de Ovar, O Espaço do Tempo, Teatro Académico Gil Vicente, Maria Matos Teatro Municipal, Teatro Micaelense, Teatro Nacional São João e Teatro Virgínia.