Centro de Estudos Ibéricos

Eduardo Lourenço foi lembrado na Guarda, por ocasião do 98º aniversário do seu nascimento que se celebra a 23 de Maio. Para assinalar a data o Centro de Estudos Ibéricos entregou o Prémio Eduardo Lourenço 2020, inaugurou um memorial e promoveu o projecto “Leituras de Eduardo Lourenço”, no dia 21 de Maio.O Prémio Eduardo Lourenço 2020 foi entregue ao professor catedrático aposentado da Universidade de Salamanca, Ángel Marcos de Dios, na Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço. Na 16ª edição do prémio, o júri reconheceu o mérito académico e científico do premiado na área da Língua e Literatura. Ángel Marcos de Dios, professor e investigador considerou o Prémio Eduardo Lourenço 2020, “uma óptima memória” do professor, filósofo e ensaísta falecido em Dezembro do ano passado.O Prémio foi entregue pelo presidente da Câmara da Guarda, Carlos Chaves Monteiro.No mesmo dia, o Centro de Estudos Ibéricos inaugurou o espaço “Memorial Eduardo Lourenço”, onde estão expostos alguns prémios, diplomas e condecorações que o Professor Eduardo Lourenço legou à Guarda. A mostra integra o Prémio Luís de Camões (1996), o Prémio Vergílio Ferreira (2001), o Prémio Pessoa (2011) e o Prémio European Award Helena Vaz da Silva (2016), a Medalha de Mérito Cultural da República Portuguesa (2008), a Medalha de Ouro da Cidade da Guarda (2008) e a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade (2014).Carlos Chaves Monteiro disse que o “Memorial Eduardo Lourenço” vem de encontro à vontade de Eduardo Lourenço que quis que o Município da Guarda fosse o fiel depositário do conhecimento que ele produziu ao longo do tempo e dos actos relevantes a nível nacional e internacional.Na ocasião também foi apresentada a gravura “Eduardo Lourenço – Heterodoxias” e a medalha comemorativa dos vinte anos do Centro de Estudos Ibéricos, ambas da autoria de João Pedro Cochofel.O Centro de Estudos Ibéricos também apresentou o Projecto “Leituras de Eduardo Lourenço”, coordenado por António Pedro Pita (Universidade de Coimbra), Margarida Calafate Ribeiro e Roberto Vecchi (Cátedra Eduardo Lourenço, Universidade de Bolonha) e Rui Jacinto (Centro de Estudos Ibéricos e CEGOT-Universidade de Coimbra). O projecto pretende, além de gerar um movimento cultural de discussão e (re)leitura critica do seu legado, promover a reflexão dum pensamento vasto e labiríntico através de múltiplas iniciativas, onde se inclui um Ciclo de Seminários com realização regular a partir de agora. O primeiro destes seminários foi apresentado e moderado por Guilherme d´ Oliveira Martins - Administrador da Fundação Calouste Gulbenkian e Presidente do Centro Nacional de Cultura, e contou com as intervenções de Paulo Filipe Monteiro (Universidade Nova de Lisboa), Francisco Noa (Moçambique) e Nuno Grande (Universidade de Coimbra).