Manuel Igreja Dinis é natural do Rochoso, concelho da Guarda

Manuel Igreja Dinis, pároco do Sabugal, acaba de publicar um livro onde reúne alguns dos poemas que foram saindo, no Jornal “Amigo do Sabugal”, ao longo de doze anos. “Caminhando se faz o caminho” aprece “a pedido de alguns leitores” do jornal que semanalmente falava do Sabugal e do concelho e que acabou, em Agosto de 2019. Ao longo de mais de duzentas páginas, Manuel Igreja Dinis oferece “um modesto contributo para ajudar aqueles, que lendo estes poemas, revivam os acontecimentos do passado e sintam algum consolo interior em tempos muito difíceis como estes, que estamos atravessando”. Sobre as razões para fazer poesia, DIMO, pseudónimo de Manuel Igreja Dinis, escreve que “é uma maneira de realçar os pequenos e os grandes acontecimentos da vida espiritual, humana e social”. E acrescenta: “A poesia sabe descobrir o valor dos pequenos acontecimentos que nos rodeiam e realça-lhes a sua beleza e ternura, ajudando a vencer as dificuldades e as agruras da vida”. “A ligação à poesia foi sempre uma das características evidentes na personalidade do padre Manuel. E, ao longo de muitos anos, foi registando em verso as impressões de uma atenta e permanente observação das pessoas e das situações do quotidiano”, escreve Maria Emília Dinis Costa, no prefácio. Explica que “os poemas que compõem este livro são uma espécie de corolário de uma vida de atenção e dedicação aos outros, mas também o tributo de uma alma simples e íntegra, que abriga tudo e todos os que nela possam caber”. Para Maria Emília Dinis Costa os poemas de Manuel Igreja Dinis apresentam marcas autobiográficas e traços da sua personalidade, da sua maneira de ser e da sua generosidade; exprimem a simplicidade da doação e do desapego à vida; revelam um observador da natureza.O livro “Caminhando se faz o caminho” termina com três textos poéticos: Maioral lamenta a sua morte (conto de Natal); Fazendo Memória; e Recordações da Memória.Manuel Igreja Dinis nasceu em 1975, em Rochoso, concelho da Guarda. Estudou nos seminários diocesanos do Fundão e Guarda, tendo sido ordenado sacerdote, em Gouveia, em 1965. Depois da ordenação foi pároco no concelho e arciprestado de Almeida (Azinhal, Valverde e Peva). Seguiram-se as paróquias de Vila Fernando, Adão e Vila Garcia, no arciprestado do Rochoso, concelho da Guarda. Continuou o percurso pastoral no Seminário do Fundão como educador, professor e, mais tarde, director espiritual. No concelho do Fundão foi pároco de Alpedrinha, Orca e Zebras. Em 2007 foi nomeado pároco do Sabugal, Aldeia de Santo António, Rapoula do Côa e Ruvina. Um ano depois deixou as paróquias de Rapoula do Côa e Ruvina e foi nomeado pároco de Sortelha e Águas Belas. Manuel Igreja Dinis recorda que o gosto da poesia lhe vem “dos tempos que, em Vila Fernando, durante 20 anos” teve á sua responsabilidade um Posto da Telescola, que foi, para muitos jovens, uma prancha de lançamento para novos voos na vida”. Em Vila Fernando criou um grupo de Teatro Amador, onde tomou gosto pelo teatro e pela música. A paixão pelo teatro continuou em Alpedrinha onde realizou “a Paixão de Cristo ao vivo”. No Sabugal, onde reside actualmente, teve, durante 12 anos, a responsabilidade de orientar a quarta página do jornal semanário, ‘Amigo da Verdade’ com o título de ‘Amigo do Sabugal’, desde 2007até 2019, ano em que deixou de ser publicado. O livro “Caminhando se faz o caminho”, de Manuel Igreja Dinis, está à venda na Livraria VERITAS, na Guarda.