Publicações

No 50º aniversário do livro Teologia da Libertação. Perspectivas (1971), de Gustavo Gutiérrez, surge agora a publicação de uma obra, num certo sentido “comemorativo”, da autoria do padre Vitor Hugo Mendes, que esteve na diocese da Guarda, numas paróquias do Sabugal, durante os anos em que, na Universidade Pontifícia de Salamanca, em Espanha, investigou, redigiu e defendeu tese de doutoramento em teologia dogmática. O sacerdote brasileiro publica agora, em dois volumes, o resultado desse trabalho. Com o título: “Liberación, un balance histórico a la luz de Aparecida e Laudato si ‘. El aporte latinoamericano de Francisco”. Embora seja publicado por uma editora brasileira (APPRIS), este trabalho está redigido em espanhol. Essa opção, como se pode imaginar, leva em consideração o interesse que os temas abordados no livro podem despertar nos leitores de língua espanhola. Espera-se que, em breve, dada a importância do estudo, seja também publicada a tradução para o português.A obra está organizada em dois volumes (cerca de 600 páginas). Ao longo de 4 partes, subdivididas em 11 capítulos, é feito um inventário da trajetória de libertação latino-americana desde o seu início, a meados do século passado, até aos dias de hoje. Disto emerge, como mostra o autor, a contribuição latino-americana de Francisco, o primeiro a ocupar o solio de Pedro, oferecendo um olhar bastante completo e original sobre o pontificado do Papa Francisco considerando que analisa os seus ensinamentos e magistério. Como o título indica, destaca-se, entre outros, a encíclica Laudato Sí, documento indispensável no cuidado da casa comum. Com isso, se volta a tematizar a libertação integral, uma contribuição incontornável da teologia latino-americana.Segundo Agenor Brighenti, teólogo brasileiro que prefaciou o livro, “é um registro bem documentado da tradição eclesial libertadora da Igreja na América Latina e no Caribe, gerada na periferia da Igreja e da sociedade. E que agora chega ao centro com o pontificado do Papa Francisco”. Ainda nas palavras de Brighenti, “o texto, além de ser sustentado por extensa pesquisa bibliográfica, é antes de tudo o resultado da biografia de um autor que atuou tanto na periferia quanto no centro da Igreja. Na periferia estão as práticas nos processos pastorais e formativos locais e, no centro, as atividades em organismos vinculados à Conferência Episcopal do Brasil (OSIB / CNBB) e ao CELAM, que lhe proporcionaram um conhecimento direto da realidade do continente ”.O sacerdote, que se encontra actualmente no Brasil, segundo nos referiu, guardou no coração os anos que passou na diocese e vai mantendo contactos com Portugal, onde espera regressar um dia e poder apresentar nessa ocasião este trabalho.JC