Música


Os grupos Orelha Negra, Paus e Salto são os cabeças-de-cartaz da 7.ª edição do Festival de música Mêda+, que se realiza nos dias 28, 29 e 30 de Julho e volta a ter entrada livre.
No recinto da Santa Cruz, sobem ao palco Flying Cages, Oioai, Paus e DJ A Boy Named Sue (dia 28), Granada, The Lemon Lovers, Salto e Salto DJ set (dia 29) e Her Name Was Fire, Bed Legs, Orelha Negra e Mauro Barros (dia 30). Os concertos têm início marcado para as 23.00 horas. “Esta é uma programação com o melhor e mais recente da música portuguesa, já que as nove bandas têm trabalhos lançados em 2016”, refere a organização do evento.
O Palco CTT, activo durante a tarde no Parque Municipal da cidade, vai contar com Tio Rex e The Tumble Reeds (28), S. Pedro e Birds Are Indie (29) e Duquesa e Luís Severo (30). Este é um espaço pensado para toda a família, com um ambiente relaxado, que pretende continuar a ligar o festival à comunidade. No dia 27 de Julho, véspera de início do festival, o mesmo palco acolhe a recepção ao campista com um espectáculo da Orquestra Sinfónica dos centros de formação musical de Mêda, Trancoso, Aguiar da Beira e Moimenta da Beira, que vai reinterpretar alguns dos melhores álbuns da história do rock.
À semelhança de anos anteriores, o Parque de Campismo da cidade da Mêda mantém a entrada gratuita. A utilização das Piscinas Municipais tem o custo de 3 euros pelos três dias de festival. Será feita uma pequena intervenção para ampliar a capacidade do Parque de Campismo e a organização anuncia também um maior espaço de restauração no recinto do evento.
Este festival é organizado desde 2010 por uma associação juvenil sem fins lucrativos e é apoiado pela Câmara Municipal e Junta de Freguesia de Mêda. Assume-se como o mais importante evento cultural da região. De acordo com os promotores, terão estado na última edição cerca de 6.000 pessoas.