Publicações


O livro “Contos da Flor e do Fruto”, do professor Joaquim Igreja, vai ser apresentado, na Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço, no dia 18 de Maio, às 18.00 horas.
“Trata-se de um conjunto de 33 narrativas com histórias passadas na Guarda e na região envolvente, cruzando memórias, experiências de vida e criação literária, sendo a minha primeira incursão na ficção”, explica o autor.
O livro será apresentado por António José Dias de Almeida (ex-professor da ESAAG, aposentado), que fez também o prefácio, e Maria João Pinto, médica neurologista (ex-aluna do Agrupamento de Escolas Afonso de Albuquerque). 
“Contos da Flor e do Fruto” é a primeira experiência de ficção de Joaquim Martins Igreja, através da Âncora Editora. Mais habituado à escrita de jornais e blogues, experimenta agora a narrativa de pequenos episódios da província, em que nasceu e se criou: a sua aldeia (Castanheira), a sua cidade (Guarda), a região da Beira, de mato, montanhas e barrocais. E sobretudo de pessoas, porque estas histórias fazem o retrato da paisagem humana beirã em movimento e conflito, das silhuetas e sombras com que o autor se foi cruzando ao longo da vida, no café, na escola, na rua. Personagens ora complexas, ora a traço grosso, quase sempre deixando espaço ao leitor para as completar.
Joaquim Martins Igreja é professor do ensino secundário desde 1979, tendo também desempenhado funções de coordenação cultural no INATEL. Colaborou ao longo de várias décadas na imprensa regional e a partir de 1992 desenvolveu o projecto EXPRESSÃO de jornalismo escolar na Escola Secundária Afonso de Albuquerque, onde trabalha desde 1984. Publicou na colecção “Fio da Memória”, da Câmara Municipal da Guarda, o opúsculo “Os enchidos da Castanheira” (2003) e coordenou a edição de “Escola Secundária Afonso de Albuquerque - 50 anos na Mata Municipal” (2020).