O Gambozinos e Peobardos - Grupo de Teatro da Associação Cultural e Desportiva da Vela foi fundado em Abril de 2005.

Os seus espectáculos espelham uma vontade de valorizar uma identidade definida pela sua geografia - região interior - e a sua realidade social, composta por uma acentuada vivência rural e um forte sentimento de isolamento. Os elementos do grupo têm procurado levar à cena autores e obras da literatura lusófona (são exemplos Alexandre O’Neill, Miguel Torga, Eugénio de Andrade, Mia Couto) que sirvam de inspiração e âncora na reflexão sobre aquilo que os envolve. Nesta busca, o grupo optou por textos não dramáticos, o que constitui um desafio nas suas criações, a par com a opção de as concretizar em espaços não convencionais, privilegiando espaços ao ar livre e/ou com valor patrimonial reconhecido. Desde 2005 estreou 11 espectáculos, sendo de destacar “Entre o Céu e a Terra”, apresentado em 2013 nos Claustros do Paço da Cultura na Guarda, que juntou mais de uma centena de pessoas em cena entre actores profissionais, amadores e associações do concelho da Guarda. Mais recentemente, o espectáculo “LITORAL” (2014) apresentado ao ar livre na Vela reuniu mais de 40 participantes maioritariamente da comunidade local para reflectir sobre a desertificação do Interior: como país e como pessoas. Destaque também para a “Romagem Teatral ao Cabeço das Fráguas”, uma iniciativa da Culturguarda, no Verão de 2012. O Gambozinos e Peobardos faz parte de uma rede informal de grupos dinamizada pelo Teatro O Bando, de Palmela. É também parceiro do Trigo Limpo Teatro ACERT de Tondela, que recebeu no final do ano passado no festival ARGONAUTAS na Vela. Este espaço de programação que organiza desde 2013, vai já na 3.ª edição e tem permitido acolher várias propostas artísticas de todos os cantos do país. A próxima criação do Grupo de Teatro da Vela será uma co-produção com o ACERT de Tondela e estreará no próximo mês de Maio.