Guarda - Pequeno Auditório


Os ‘RecitAis! Do Ai!’ começam este sábado, 24 de Janeiro, às 21.30 horas, no pequeno auditório do Teatro Municipal da Guarda MG com as “Canções de Trabalho”. Para estreia, o Projecto Ai! convidou o músico e percussionista Tiago Pereira (Roncos do Diabo).  
‘Ai!’, de César Prata e Suzete Marques, é um projecto de pesquisa e recriação da música portuguesa de tradição oral, trazendo ainda para o seu repertório alguns temas medievais. Agora, este projecto inicia uma série de concertos temáticos em parceria com músicos convidados, os “RecitAi!s”.
O primeiro será com Tiago Pereira e intitula-se “Canções de trabalho”. O homem é terra e à terra há-de voltar. Entre uma coisa e outra fica a vida, vivida para a terra que tudo dá: o sustento e os cantos. Um e outros serão, talvez, a mesma coisa. Para aliviar a canseira da dureza da labuta, para distrair o corpo, o homem canta. Perdida a função original, não queremos perder as canções. Assim, cantos de trabalho sobem para o palco, têm público e transfiguram-se em espectáculo.
César Prata fundou e dirigiu diversas associações culturais e trabalhou com inúmeras colectividades no âmbito da recolha do património imaterial. Criou e dirigiu diversos espectáculos. O seu nome encontra-se ligado a inúmeros discos, quer como compositor, arranjador, criador, intérprete ou técnico dos quais se destacam Chuchurumel, Assobio e Chukas (encomenda do IGESPAR para o Parque Arqueológico do Vale do Côa). Publicou alguns cadernos sobre tradição oral. Criou e assegurou a direcção musical de espectáculos.
Suzete Marques cresceu em Pinhel, passando algum tempo da sua infância no mundo rural, nas aldeias de Carvalhal da Atalaia e Manigoto. Muito ligada às raízes, rumou para Lisboa, onde se licenciou em Línguas e Literaturas Clássicas e, mais tarde, especializou-se na área de Arquivo. De 2007 a 2011 fez parte de um grupo de música de raiz tradicional: Sex ianuae (6 portas, em latim). Trabalhou, pela primeira vez, com o César Prata na peça de teatro “Entre o céu e a terra”, dos Gambozinos e Peobardos.