Guarda

A Candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura em 2027 apresentou a primeira Agenda Cultural da Beira Interior, no dia 1 de Outubro, na entrada do edifício da antiga Câmara da Guarda, agora sede da CIM Beiras e Serra da Estrela. A publicação, com cerca de cinquenta páginas e uma tiragem de 30 mil exemplares, reúne a programação cultural dos 17 municípios que integram a Candidatura (Aguiar da Beira, Almeida, Belmonte, Celorico da Beira, Covilhã, Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Fundão, Gouveia, Guarda, Manteigas, Mêda, Pinhel, Sabugal, Seia, Trancoso e Vila Nova de Foz Côa) numa colaboração com a CIM Beiras e Serra da Estrela e que foi considerada “uma das peças importantes no processo de candidatura formal a apresentar no final do próximo ano”. “Este é o resultado prático da ambição de cimentarmos laços por via da cultura, que nos unam em defesa de uma região mais forte, mais coesa, mais solidária, mais conhecedora do que cá se faz, mais orgulhosa das suas múltiplas identidades, patrimónios e pessoas”, escreve o presidente da Câmara da Guarda, Carlos Chaves Monteiro, na nota de abertura. E acrescenta: “Que esta agenda seja o início de um processo mais amplo, estruturante, mobilizador, que a Guarda 2027 corporiza e pretende dinamizar”. Pedro Gadanho, director executivo da candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura 2027, escreve que a Agenda Cultural da Beira Interior pretende ampliar o efeito de que “as fronteiras entre vizinhos são verdadeiramente abolidas e que as pessoas partilham experiências, criando a oportunidade para a química urbana que alimenta o talento, a inovação e a mudança”.