Entrevista: David Emanuel Barroco Neves, mentor da Academia Diplix


David Emanuel Barroco Neves frequentou o Ensino Profissional na Escola Universitária de Artes de Coimbra, denominada por ARCA. É proprietário da empresa Diplix Audio – aluguer som e luz, onde se insere também a Academia Diplix.
Essencialmente passa o tempo livre dedicado à música mais concretamente na criação dos projectos musicais “Numa Bola de Sabão”, “Músicas da Nossa Vida – especial músicas do Festival da Canção Portuguesa” e “Músicas da Nossa Vida – especial músicas da Disney”.
A GUARDA: O que é e como apareceu a Academia Diplix?

David Neves: Desde jovem que tinha o sonho de criar um espaço onde crianças, jovens e adultos pudessem aprender a tocar um instrumentos mas também a aprender a gostar de música de uma forma em geral.
Infelizmente, o conceito não arrancou logo quando foi pensado mas felizmente decorria Fevereiro de 2015 quando senti que era a altura certa para me dedicar ao projecto que hoje conhecem.
E portanto, a Academia Diplix é isto mesmo. Um espaço onde pessoas de várias idades podem fomentar o gosto pela música, aprender a tocar um instrumento musical, aprender a chegar ao próximo através da paixão pela música.

A GUARDA: Quais os objectivos desta Academia e a quem se destina?

David Neves: No que concerne aos objectivos da Academia, estes passam por incentivar à partilha da experiência na vertente musical, ao estimular da criatividade sempre num ambiente harmonioso e diversificado, frequentado diariamente por crianças, jovens e adultos em diferentes áreas académicas e profissionais. Procuramos que através do convívio, dinamismo e partilha de experiências que se impulsione o gosto pela música e pela arte através da concomitância de actividades como aulas, música para bebes, pequenos concertos entre alunos, professores, músicos convidados e frequentadores do espaço da Academia Diplix.

A GUARDA: Onde é que a Academia tem as instalações e como funciona?

David Neves: As instalações da Academia situam-se na Avenida Cidade de Béjar, lote 3, rés do chão direito, junto à Póvoa do Mileu, aqui na cidade da Guarda.
Em termos de funcionamento tem uma estrutura pedagógica um pouco diferente do registo habitual.
O seu funcionamento vai muito além de querer ensinar a tocar um instrumento musical e como tal, para além disso, temos as aulas de Classe de Conjunto, onde aprendem a interagir com outros colegas e diversos instrumentos musicais, temos ainda a Classe de Coro, Expressão Musical e ainda a Música para bebés.
No final de cada período, todos os alunos são convidados a demonstrar publicamente o que de melhor aprendem nas aulas na nossa Academia.

A GUARDA: Quais as actividades mais relevantes que a Academia Diplix já realizou?

David Neves: O projeto tem vindo a crescer e a consolidar conteúdos e experiências diariamente e prova disso foi o convite que nos foi endereçado pelo Município da Guarda em 2017 para interpretar um tema original na cerimónia comemorativa do Dia da Cidade. Destaco ainda a recente participação com a criação/elaboração de músicas para entidades como a Associação de Municípios da Cova da Beira, UNU Project, entre outras entidades.
Por fim, mas não menos importante, realço a participação de alguns alunos da Academia no Projeto Musical “Numa Bola de Sabão” com atuações em salas como o grande auditório do TMG, Fnac de Viseu e Fundão.

A GUARDA: A Academia diz que tem um método inovador de ensinar música. Como é que isso se faz?

David Neves: Achamos ser inovador no sentido em que queremos que quando entram na Academia se sintam parte integrante deste projeto, participando e incentivando-os a querer saber e fazer melhor. Não se trata somente de uma aula de 60 minutos mas sim de uma dinâmica musical bastante importante que os faz interagir entre todos, sejam eles professores e alunos.
Temos também dado o nosso contributo na vertente da inclusão social na medida em que temos vários alunos com necessidades educativas especiais ou incapacidade a integrar as nossas aulas e a demonstrar-nos que dispõem de excelentes capacidades e aptidões para a música.

A GUARDA: De que maneira é que a Academia ajusta a oferta musical em função das necessidades de cada aluno?

David Neves: A Academia dispõe de um dossiê pedagógico e técnico no qual consta todo o programa que nos propomos desenvolver. As idades são várias, os objetivos diferentes e como tal adequamos os conteúdos ao grupo em questão, sejam eles crianças que querem aprender a “Brincar à Música” na Expressão Musical, ou adultos que queiram em determinada fase de vida contactar pela primeira vez com um instrumento.

A GUARDA: Considera que a Guarda é uma terra de talentos, em termos musicais?

David Neves: Não tenho dúvidas disso. Ainda antes de implementar e dinamizar esta Academia já tinha essa noção através da participação de várias pessoas com imenso talento que contribuíram para o sucesso que tem sido o projeto musical “Numa Bola de Sabão” seja na área da música, teatro e dança.
A GUARDA: Como vê a candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura 2027 e qual o contributo que a Academia pode dar neste campo?

David Neves: Vejo esta candidatura com bastante otimisto e quero acreditar que com o envolvimento de todos, sejam coletividades, associações, particulares e outras entidades, todos teremos a ganhar com isso.
Esta candidatura tornará a cidade ainda mais rica e valorizada e isso só pode beneficiar todos aqueles que escolheram a cidade para viver e investir.