Por despacho do presidente Carlos Chaves Monteiro

Vítor Amaral é o novo vice-presidente da Câmara Municipal da Guarda, sucedendo no cargo ao vereador do PSD Sérgio Costa, a quem o presidente, Carlos Chaves Monteiro, retirou a confiança política, no início do mês de Março. A decisão foi anunciada, no final da reunião do executivo, que decorreu por videoconferência, no dia 14 de Abril, e em que foi aprovado o despacho de distribuição de funções. De acordo com o documento, o vereador Victor Amaral passa a vice-presidente do executivo, mantendo os pelouros nas áreas da Cultura e do Turismo (gestão do Teatro Municipal, programação cultural, intervenção cultural, animação, associativismo, gestão de museus, património cultural, arqueologia, gestão de bibliotecas e promoção da leitura, turismo e valorização do território). A vereadora Lucília Pina Monteiro continua na divisão da educação, intervenção social e saúde (ciência e tecnologia, parque escolar, transportes escolares, recursos educativos, acção social escolar, refeitórios, alimentação e nutrição, projectos socioeducativos e comunidade, intervenção social, habitação, saúde, promoção dos direitos e protecção das crianças e jovens em risco) e juventude e fica também responsável, na Divisão do Ambiente, Equipamentos e Infra-estruturas, pelo pelouro de conservação de equipamentos e edifícios municipais.Cecília Amaro fica responsável, na Divisão de Planeamento, Obras e Urbanismo, pela toponímia. Na Divisão do Ambiente, Equipamentos e Infra-estruturas, pelos pelouros jardins e espaços verdes, conservação de cemitérios, feiras e mercados, serviço florestal e desenvolvimento rural, médico veterinário municipal, serviço de informática, modernização administrativa, qualidade, desenvolvimento estratégico e apoio ao investimento, empreendedorismo e espaço empresa.Na sequência da redistribuição de funções o presidente do município fica com responsabilidades nas seguintes áreas: Departamento de Administração e Coordenação Geral (serviço de apoio aos órgãos autárquicos, controlo de gestão, serviço de segurança e saúde no trabalho), Divisão Administrativa e de Recursos Humanos (serviços jurídicos, contencioso, contra-ordenações e execuções fiscais; recursos humanos e vencimentos; recrutamento; formação profissional; gabinete de apoio ao munícipe; gabinete de apoio ao emigrante; balcão único; arquivo; expediente geral; taxas e licenças; fiscalização administrativa municipal); Divisão Financeira, Contratação Pública e Património (planeamento económico-financeiro; contabilidade; controlo interno; tesouraria; património; contratação pública; gestão de stocks; transportes urbanos; parque automóvel); Divisão de Planeamento, Obras e Urbanismo (planeamento e gestão urbanística; vistoria e fiscalização; sistemas de informação geografia e cartografia; projectos, fiscalização e coordenação de segurança de obras municipais; gestão de redes de energia e comunicações); Divisão da Cultura, Turismo e Desporto (desporto; gestão de equipamentos desportivos); Divisão do Ambiente, Equipamentos e Infraestruturas (gestão e conservação de redes de águas e resíduos; vias e segurança rodoviária). Permanecem ainda na esfera de actuação e decisão do presidente da autarquia, as áreas específicas funcionais referentes ao Gabinete de Apoio à Presidência, o serviço de comunicação, relações públicas e protocolo, o serviço de desenvolvimento económico e coesão, o serviço de reabilitação urbana e o serviço municipal de protecção civil. Carlos Chaves Monteiro disse que escolheu Victor Amaral para vice-presidente por “reunir as condições para cumprir as funções de forma responsável e cabal”. A “experiência e antiguidade” também foram factores que pesaram na escolha.