Guarda

Os vereadores do Partido Socialista, Cristina Correia e Manuel Simões, apelidaram o presidente da autarquia, Carlos Chaves Monteiro, de “Super-presidente”, durante a reunião do dia 14 de Abril, em que foi aprovado o despacho de distribuição de funções.Numa breve reflexão sobre a distribuição de pelouros que foi efectuada, Cristina Correia afirmou: “Senhor Presidente, o senhor não é só um Presidente. O Senhor é um Super-presidente!”. E acrescentou: “Não só consegue manter grande parte dos pelouros que já tinha anteriormente, como, também, acumula um conjunto de novas competências que nos parecem completamente desproporcionais”. Deixou uma palavra de congratulação pela apresentação do “Programa Extraordinário de Apoio às Famílias, ao Comércio Local, às Instituições e às Empresas do Concelho da Guarda”, intitulado “SALVAGUARDA”, mas considerou que “o momento crítico que vivemos exige que se possa e deva ir mais longe”.Cristina Correia considerou “determinante que a Câmara Municipal da Guarda possa constituir uma linha financeira de apoio ao comércio local e às empresas, definindo um montante global de investimento e elaborando um regulamento de apoio para apresentação simplificada de candidaturas, por parte dos comerciantes e dos empresários”.Sobre a “Proposta de Atribuição de Apoios às Associações Humanitárias de Bombeiros Voluntários do Concelho da Guarda” os vereadores do PS associaram-se à contraproposta, do Vereador Sérgio Costa. Sem discordarem completamente das propostas apresentadas pelo anterior vice-presidente, os vereadores do PS mostraram dificuldade em compreender “porque surgem, agora, estas propostas do Senhor Vereador Sérgio Costa, com tanta oportunidade, e porque nunca terão surgido, durante os mais de seis anos em que o mesmo esteve no exercício do poder municipal”.