Oposição contesta negócio do antigo campo de futebol António dos Santos

A aquisição de terrenos para ampliação da Zona Industrial da Guarda com outorga de escrituras públicas, foi um dos pontos que marcou a reunião da Câmara da Guarda, desta segunda-feira, 22 de Março. O município vai investir 350 mil euros na aquisição de terrenos, sendo 120 mil destinados à compra do antigo campo de futebol António dos Santos que pertenceu ao Mileu Guarda Sport Clube.Carlos Chaves Monteiro explicou que “naquilo que diz respeito à avaliação do terreno são 120 mil euros que o Município da Guarda está a pagar com a sua aquisição” mas até 2028, a exploração da torre de comunicações que existe no local, “corre por conta do arrendatário”. E acrescentou: “A Câmara Municipal da Guarda, a partir de 2028, passará a ser ela também beneficiária dessa renda, nas condições que depois se vierem a verificar sendo que o valor base é de 5 mil euros”. Sobre este ponto, o vereador Sérgio Costa lembrou “a telenovela relacionada com a aquisição dos terrenos do Campo de Futebol da Póvoa do Mileu, quando em 2017 decorreu o processo de venda judicial”. Adiantou que “este assunto foi amplamente discutido nas reuniões de coordenação do executivo PSD, tendo-se decidido que o Município se apresentaria como potencial comprador, ficando o então Vice-Presidente – Dr. Carlos Chaves Monteiro responsável pelo processo, dado o Pelouro do Património estar-lhe atribuído”. Na altura, a autarquia, então presidida por Álvaro Amaro, apresentou uma proposta que não foi aceite por ter entrado fora do tempo estipulado. Agora, a autarquia vai comprar o antigo campo de futebol do Mileu pelo valor de 120 mil euros, que foi comprado por um particular por 40 mil euros.Os vereadores do PS acusam o presidente da Câmara de ser “promotor de especulação imobiliária” na Guarda. Referem que “ao fixar o preço por metro quadrado de áreas industriais ou empresariais em 10 euros por m2, para além de ser um absurdo económico será uma catástrofe política - é o que se espera desta estratégia de ‘promoção imobiliária da autarquia’ a autarquia anda em ‘negociatas’ de terrenos quando devia estar a planear uma estratégia com uma nova área de desenvolvimento economia e de Transformação Digital da Economia da Guarda”.A decisão de adquirir três terrenos, com uma área total de 33 mil metros quadrados, pelo valor global de 350 mil euros, para instalação de “novas empresas ou ampliação das existentes” no parque industrial da cidade, foi aprovada por maioria com os votos contra dos vereadores do PS e a abstenção do vereador Sérgio Costa.