Deliberação da Direcção Executiva do SNS


A partir de 1 de Abril, sete unidades locais de saúde, entre as quais a da Guarda, vão deixar de fazer cirurgias ao cancro da mama.
A informação foi avançada no dia 29 de Fevereiro, no seguimento da deliberação da Direcção Executiva do SNS que altera a rede de referenciação da neoplasia da mama.
A deliberação refere que o tratamento passa a ser restrito a unidades que realizem pelo menos 100 cirurgias por ano e tenham, no mínimo, dois cirurgiões.
O objectivo é garantir que as intervenções passem a ser feitas num conjunto mais restrito de hospitais que concentrem um “volume mínimo de actividade que confira experiência, qualidade e segurança às intervenções”.
As unidades que deixam de fazer cirurgias ao cancro da mama serão as do Oeste, Cova da Beira, Guarda, Castelo Branco, Baixo Mondego, Barcelos-Esposende e do Nordeste.
A informação dá conta que, apesar das cirurgias ficarem suspensas, estas unidades locais continuam a realizar consultas oncológicas.