Concelho integra Região Demarcada dos Soutos da Lapa


“A produção de castanha em Portugal é de cerca de 33 mil toneladas, das quais 70% são exportadas. Trancoso é responsável por 5% da produção nacional que gera para os produtores do concelho um rendimento de cerca de 3 milhões de euros anuais”, adiantou ao Jornal A Guarda a Câmara Municipal de Trancoso presidida por Amílcar Salvador.
Segundo a autarquia, “a área de castanheiro evoluiu em Trancoso de 855 hectares em 1999, para 1348 hectares em 2009, o que representa um aumento de 57%”. Aquele concelho do distrito da Guarda integra uma das quatro regiões demarcadas de produção de castanha, a DOP Soutos da Lapa, “detendo o maior número de explorações e área plantada nesta região”. As variedades protegidas por esta denominação de origem são a Longal e a Martaínha. Ambas podem ser utilizadas para o mercado de fresco ou para a indústria e têm bom sabor e poder de conservação. A variedade Martaínha é mais precoce e é de maior calibre que a Longal, por isso, é mais valorizada no mercado e tem merecido maior preferência dos produtores em detrimento da Longal. “A variedade de castanha Martaínha é verdadeiramente a imagem de marca da castanha de Trancoso e da DOP Soutos da Lapa”, de acordo com a autarquia.
O presidente da Câmara Municipal de Trancoso, Amílcar Salvador, referiu ao Jornal A Guarda que a produção de castanha “é uma mais-valia enorme”, sobretudo em determinadas Freguesias como Tamanhos, Fiães, Aldeia Nova e Torre do Terrenho. “É, sem dúvida, extremamente importante em termos de rendimento para os nossos proprietários” e também para absorver alguma mão-de-obra da região, embora sazonal. “São 3 a 4 semanas (desde finais de Outubro até à época de São Martinho) em que estão muitas pessoas a trabalhar na apanha da castanha, que é um produto de excelência e é uma grande fonte de rendimento”, acrescentou.
Tendo em conta a importância da produção de castanha para a economia do concelho, a Câmara Municipal de Trancoso agendou, para os dias 7, 8 e 9 de Novembro, a realização de mais uma Feira da Castanha e Paladares de Outono. “Será um grande fim-de-semana dedicado à castanha. Será uma feira do género da Feira do Fumeiro”, garante o autarca. Numa organização conjunta da Câmara e da empresa municipal Trancoso Eventos, a edição deste ano vai realizar-se no Pavilhão Multiusos da cidade de Trancoso e significará “uma radical mudança em relação às edições passadas”. “A evolução de uma festa da castanha, que anteriormente ocupava apenas um dia, para uma feira/exposição de três dias pretende colocar este evento no calendário regional e nacional de feiras de produção agrícola de acordo com a grande importância que a castanha de Trancoso assume no contexto do sector”, acrescenta.
A Feira da Castanha e Paladares de Outono terá a participação, para além dos produtores de castanha, de empresas de maquinaria agrícola especializada para a cultura de soutos, empresas comercializadoras de produtos para tratamento do castanheiro, empresas transformadoras da castanha, associações, cooperativas e instituições ligadas a este sector produtivo de enorme importância para a região.
O programa do certame também integra, entre outras actividades, showcookings, conferências, umas “Jornadas Técnicas sobre o Castanheiro”, os concursos “Melhor Castanha de Trancoso 2014” (variedades Martaínha e Longal) e “Doçaria de Castanha”, jogos tradicionais e espectáculos musicais.
Nos dias da Feira da Castanha também decorrerá a II Mostra Gastronómica Paladares de Outono, nos restaurantes aderentes, que proporcionará aos visitantes um contacto com a gastronomia regional, particularmente com as especialidades confeccionadas com castanha.
O evento terminará com um tradicional magusto convívio aberto a todos os visitantes.