ULS Guarda


O presidente da Câmara da Guarda considera que os problemas da saúde na região não devem ser “mascarados” com a crise no SNS – Serviço Nacional de Saúde. Sérgio Costa disse que “não se deve branquear os problemas do Hospital da Guarda com aquilo que se passa no SNS a nível nacional” e espera que a situação seja resolvida rapidamente “por este Governo ou pelo próximo”.
Numa altura em que o Hospital da Guarda se debate com sérios problemas, o autarca adianta que “os políticos não podem fazer ouvidos moucos àquilo que nos vai chegando pela população e pelos profissionais da saúde”.
Sérgio Costa referiu que “não é preciso ser político, não é preciso ser doutor ou engenheiro” para ver que “o Governo tem absoluta responsabilidade naquilo que se está a passar no SNS a nível nacional”. Ao rol de responsáveis como o Estado Central, o Governo e a Administração do SNS, o autarca juntou também as administrações dos hospitais e os próprios médicos.
O autarca adiantou que “muitos dos problemas que sabemos que existem no Hospital da Guarda, nos centros de saúde que estão a ficar sem médicos de família, nas especialidades médicas em que os seus profissionais vão para outras unidades de saúde”, não são um problema do SNS mas sim da Guarda. “Porque é que estes profissionais de saúde que tiram aqui o seu estágio, fazem aqui os seus cursos, fazem aqui os seus internatos e depois se vão embora e que se queixam que são maltratados na Guarda”, questionou. E acrescentou: “O que é que se passa? Ou é na administração ou é na gestão mais intermédia do Hospital que estão os problemas?”.
Para Sérgio Costa este “é efectivamente o grande problema que a Guarda tem neste momento, muito para além do orçamento municipal, porque sem saúde nada se faz”. E acrescentou: “Haja a coragem política dos partidos políticos ajudarem a resolver o problema”.
“O que se passa na nossa ULS Guarda, seja no Hospital, seja nos Centros de Saúde, seja nos polos de saúde, que resolvam os problemas que lá há, que tenham essa coragem firme, convicta, pela Guarda”, considerou o autarca. E pediu: “Pela Guarda resolvam os problemas da saúde”.
Sérgio Costa disse que já pediu uma reunião ao director executivo do SNS e que o presidente da Comunidade Intermunicipal Beiras e Serra da Estrela (CIMBSE) também solicitou uma audiência ao ministro da Saúde, mas ainda não tiveram qualquer resposta.
O autarca lembrou que a ULS Guarda abrange 13 concelhos do distrito e manifesta “solidariedade com os autarcas da região”.