Infraestruturas de Portugal - Visita às obras em curso com os Presidentes da Câmara


A reabertura da Linha da Beira Alta entre Pampilhosa e Guarda, prevista para Janeiro de 2023, foi adiada devido à realização de novos trabalhos, sendo necessário prolongar a interdição do serviço ferroviário.
A Infraestruturas de Portugal explicou que “no decorrer da empreitada, em Setembro de 2021, a IP foi confrontada com a Declaração de Impacto Ambiental relativa à Duplicação do IP3, Coimbra – Viseu, que não validou a nova Variante a Santa Comba Dão, tendo sido antes aprovada a solução de duplicação do actual troço do IP3. Esta decisão obriga à demolição da actual obra de arte (viaduto) da Linha da Beira Alta no cruzamento com o IP3. A IP, perante a necessidade de, num futuro próximo, se ver obrigada a voltar a ter que encerrar a Linha da Beira Alta para proceder à demolição da actual obra de arte e à construção de uma nova, decidiu avançar com a execução imediata destes novos trabalhos. Neste sentido, foi incluída a demolição da actual obra de arte e a construção de uma nova, já preparada para a duplicação do IP3, na empreitada em curso entre Santa Comba Dão e Mangualde”.
A intervenção em causa teve início durante o mês de Outubro deste ano, tendo um prazo total de execução de 270 dias, o que inviabiliza a abertura da linha em Janeiro de 2023, como estava inicialmente previsto. O transporte de passageiros, até à reabertura da circulação ferroviária, vai continuar a ser garantidos aos clientes da CP.
A Infraestruturas de Portugal já informou as autarquias servidas directamente pela Linha ferroviária da Beira Alta, tendo promovido nos dias 24 e 25 de Outubro reuniões com os Presidentes de Câmara de Mortágua, Mealhada, Santa Comba Dão, Carregal do Sal, Nelas, Mangualde, Trancoso, Fornos de Algodres, Guarda, assim como com representantes de Gouveia, Pinhel e Celorico da Beira nos estaleiros de Mortágua do consórcio da Comsa/Fergrupo e da Mota-Engil na Abrunhosa-A-Velha.
Na reunião foi apresentado o actual ponto de situação das diversas empreitadas, as características técnicas específicas dos trabalhos executados, e o plano de intervenções que está a ser delineado de modo a conseguir concretizar-se o grande objectivo de dotar a Linha da Beira Alta de um serviço de transporte ferroviário mais moderno, seguro e ambientalmente sustentável.
A Infraestruturas de Portugal informou os autarcas presentes e os seus representantes que o encerramento à circulação ferroviária do troço entre Pampilhosa e Guarda, ocorrido em Abril passado, permitiu viabilizar a concretização das intervenções planeadas em segurança e com muito maior eficácia do que teria ocorrido com a linha em exploração.
Recorde-se que estava já previsto, para 2023, o encerramento à exploração no período nocturno e nos fins de semana, face à complexidade dos trabalhos.