Serra da Estrela


A Assembleia Municipal de Manteigas aprovou, na última reunião, realizada no dia 5 de Dezembro, uma recomendação do deputado Novo de Matos, da CDU, que recomenda ao executivo camarário que avalie “o impacto político” da saída do Município do Conselho Estratégico do Parque Natural da Serra da Estrela (PNSE). “Estamos convictos que esta iniciativa poderá ser um alerta muito forte para o ICNF - Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas e uma forma do Município não se encontrar vinculado às posições que têm penalizado os cidadãos”, refere o documento a que o Jornal A Guarda teve acesso.
Na recomendação é lembrado que o PNSE foi criado em 1976, mas, nos últimos anos, “o poder decisório foi sendo transferido progressivamente para Lisboa, esvaziando assim a capacidade de gestão e a prossecução do trabalho junto das populações e da área protegida”. “O PNSE deixou de ter director e Manteigas de ter sede”, acrescenta, lembrando que presentemente existe um presidente de Departamento instalado em Viseu e “vai visitando as áreas protegidas como os viajantes visitam os comerciantes”.  “Ao contrário do que se prometeu, a promoção social está hoje agravada pelos pareceres que o ICNF impôs aos manteiguenses se estes quiserem construir, ampliar ou por qualquer razão, dignificar o seu nível de vida”, refere. “Da nossa parte estamos disponíveis para apreciar qualquer solução que ponha termo a tais abusos, sem pôr em causa os valores da conservação da Serra da Estrela”, lê-se ainda no documento, que foi apresentado por Novo de Matos e subscrito e assinado por Paulo Costa, presidente da Junta de Freguesia de Santa Maria, eleito pelo PS, e Nuno Soares, deputado municipal eleito pelo PSD.
O deputado Novo de Matos disse ao Jornal A Guarda que ficou surpreendido por a recomendação que apresentou ter sido aprovada por unanimidade pela Assembleia Municipal de Manteigas.