Maçainhas - Associação O Genuíno Cobertor de Papa


“A marca Cobertor de Papa é nossa, a nível nacional e europeu”, disse Maria do Céu Reis, da Associação O Genuíno Cobertor de Papa, depois de conhecer a decisão do Instituto da Propriedade Intelectual da União Europeia. Esta entidade emitiu o Certificado de Registo do Cobertor de Papa, depois do processo iniciado em 15 de Maio de 2018 pela Associação O Genuíno Cobertor de Papa.
O registo a nível nacional e europeu da marca Cobertor de Papa foi “uma conquista” que deixou os elementos da Associação “muito satisfeitos” e com a garantia de que, no futuro, têm a exclusividade deste produto que é trabalhado de forma artesanal na localidade de Maçainhas, concelho da Guarda.
“Com o registo tivemos de envolver uma advogada e gastámos à volta de dois mil euros que podiam ter sido investidos no fabrico do cobertor”, explicou Maria do Céu Reis, ao Jornal A GUARDA.
A partir de agora, a Associação O Genuíno Cobertor de Papa promete uma gestão rigorosa da marca de maneira a garantir a veracidade do produto. “Não podemos comparar o Cobertor de Papa artesanal com o outro que é industrial”, garante Maria do Céu Reis. E acrescenta: “no processo artesanal fazemos 3 ou 4 cobertores por dia ao passo que no sistema industrial fazem 60 ou 70”.
Quando não se respeita a veracidade na elaboração “há uma falta de respeito para com o produto tradicional, com quem o faz e com quem o compra”, considera a Presidente da Associação O Genuíno Cobertor de Papa.
Depois deste reconhecimento do Instituto da Propriedade Intelectual da União Europeia, a Associação aguarda agora a certificação do Cobertor de Papa de Maçainhas, que está em curso através do Projecto “Papachurra”, desenvolvido no âmbito do Programa Tradições da EDP. Este projecto, apresentado pela Associação ‘O Genuíno Cobertor de Papa’, foi um dos vencedores da 4ª edição do ‘Tradições’ da EDP, um dos mais importantes programas de apoio à cultura popular portuguesa.
O “Papachurra” promove a produção de cobertores, em Maçainhas, feitos com lã de uma raça de ovelhas em risco de extinção, na Serra da Estrela.
“Um dos pontos do projecto tem a ver com a certificação do Cobertor de Papa e, com este projecto aprovado, vamos, finalmente, conseguir um dos objectivos há muito pretendido”, disse Maria do Céu Reis ao Jornal A GUARDA. O objectivo passa por dar visibilidade a uma arte que começa com a recolha da lã das ovelhas, junto dos pastores e termina com a promoção e venda do genuíno Cobertor de Papa.
O projecto “Papachurra” quer preservar, revitalizar e promover o potencial económico da produção deste artigo tradicional. Esta produção é essencial para a preservação das raças autóctones (ovelhas churras) que fornecem a matéria-prima e que se encontram, actualmente, em risco de extinção. Genuinamente artesanal, este cobertor constitui um produto cada vez mais valorizado nos mercados urbanos e globais e pode ser um elemento determinante para a criação de emprego e atracção turística da região, envolvendo a comunidade, os artesãos e a indústria de lanifícios.