“Após uma reflexão no plano pessoal, familiar, profissional e político aceitei ser candidato do Partido Socialista à Câmara Municipal da Guarda”,

disse Luís Couto, no primeiro evento público da candidatura, que decorreu na Praça Velha, no dia 5 de Junho. Com o mote “liderança e compromisso”, o candidato independente pelo PS prometeu ser “um verdadeiro líder, ao lado de todos e para todos”. Luís Couto pretende que “o concelho cresça de forma harmoniosa, na garantia do bem estar, revitalizando as tradições no fortalecimento das nossas gentes, ajudando a criar o equilíbrio desejável entre a atractividade e o crescimento”. E acrescentou: “Temos as melhores condições para nos podermos afirmar na região, no país e no mundo”. Perante largas dezenas de apoiantes, Luís Couto deixou críticas à governação PSD que que está à frente do município desde 2013.Considerou que o concelho da Guarda está a ser vítima de traição quer de Álvaro Amaro, que “lhe virou as costas”, quer da “equipa que escolheu”.Num discurso longo, o candidato independente pelo PS à Câmara da Guarda falou do passado, destacando o legado dos autarcas do partido Socialista, analisou o momento presente da autarquia traçando um cenário negro da governação do PSD e deixou linhas orientadoras para o futuro, caso venha a ser eleito, como espera, nas próximas eleições autárquicas. Durante o comício usaram da palavra António Monteirinho, Alexandre Lote, Ana Mendes Godinho, Maria da Luz Rosinha, José Luís Carneiro e António José Dias Almeida. O secretário-geral adjunto do PS, José Luís Carneiro, apelou à união dos militantes tendo em vista a reconquista da Câmara da Guarda. Considerou que “sempre que o PS saiu da Guarda, a Guarda regrediu e estagnou, porque há marcas que o partido Socialista tem no poder local democrático e de que se orgulha”. A candidatura de Luís Couto à Câmara da Guarda, nas próximas eleições autárquicas, conta com a envolvência da Ministra do Trabalho e da Segurança Social, Ana Mendes Godinho, que vai liderar a lista do PS à Assembleia Municipal. O programa da candidatura é coordenado por Virgílio Bento e o director de campanha é Fábio Pinto. Luís Couto é natural de Famalicão da Serra. É licenciado em Serviço Social pelo Instituto Superior de Serviço Social de Coimbra. Foi vice-presidente do Instituto de Reinserção Social, entre Março de 2006 e Abril de 2007 e subdirector-geral da Direcção-Geral de Reinserção Social entre Maio de 2007 e Dezembro de 2012. Foi director do Estabelecimento Prisional da Guarda, entre Julho de 1998 e Março de 2006 funções que reassumiu no final de 2012 e onde se mantém actualmente.